segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Morre Luiz Algacir

Fonte: Comitê Paraolímkpico Brasileiro

Luiz Algacir faleceu às 6h30 do último sábado, aos 36 anos. Estava internado desde julho de 2009 para cirurgia de retirada de um tumor e tratamento do câncer. A medalha de prata conquistada nos Jogos Paraolímpicos de Pequim, em 2008, foi seu maior feito na carreira.

“Ele foi o maior atleta brasileiro do tênis de mesa”, garante Benedito Rodrigues de Oliveira, o Benê, técnico de Algacir. “As coisas não evoluíram", lamentou.


O presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Andrew Parsons, não escondeu a tristeza da perda do grande desportista. “Recebemos consternados com a notícia sobre o falecimento do atleta Luiz Algacir, um dos mais queridos no movimento paraolímpico", afirmou o dirigente.

“Ele foi um dos atletas de maior relevância no cenário nacional, teve uma carreira incrível, que culminou com a medalha de prata em Pequim. Além de um grande atleta era uma grande pessoa. Nossa condolências à família. O CPB se põe à disposição.”

Luiz era extremamente querido pelos amigos e companheiros de esporte. O tênis de mesa era a paixão deste paranaense que perdeu os movimentos das pernas aos 15 anos, após cair de uma árvore em Foz do Iguaçu.

O esporte entrou na sua vida aos 18 anos. Mas antes jogava basquete e tênis. Foi a amiga e também atleta Maria Luiza Passos que o convenceu a ir para o tênis de mesa. O encanto foi tanto que o sonho dele era ensinar a modalidade para crianças depois que abandonasse as competições.

“Quero encerrar a carreira realizado, depois de alcançar todos os meus objetivos. Mas não vou conseguir ficar longe do esporte, por isso pretendo ser técnico de crianças”, planejava antes da Paraolimpíada de Pequim.

Carreira bem-sucedida. Além da medalha de prata paraolímpica, o atleta tinha dois ouros parapan-americanos, conquistados em 2007, no Rio de Janeiro, um individual e outro em equipe. Luiz Algacir também foi eleito duas vezes consecutivas o melhor jogador cadeirante das Américas: em 2001 e 2002.

“Ele foi a pessoa mais fantástica com quem eu já trabalhei. Ele sabia ouvir, sabia aplicar a técnica e sabia treinar forte”, recorda Benê. Luiz Algacir foi enterrado ontem no Cemitério do Boqueirão.

Um comentário:

Everton Domingues disse...

Olá Paulo

Nao sei se conhece meus blogs olimpicos e paraolimpicos:
www.vancouverolimpica.blogspot.com
www.beijingolimpica.blogspot.com
www.londresolmpica.blogspot.com
www.twitter.com/tatolimpico

Gostaria de trocar links e apoio contigo. Me escreve e vamos ver oq é legal fazermos.
Gde abraço e bom trabalho!