segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Prêmio Brasil Olímpico

Pela terceira vez seguida no Prêmio Brasil Olímpico, que acontece daqui a pouco no Maracanãzinho, o nadador Daniel Dias será escolhido o melhor atleta brasileiro com deficiência. Ele venceu o Laureus, o Oscar do Esporte, na categoria melhor desportista paraolímpico, e o Prêmio Brasil Paraolímpico. Além disso, bateu vários recordes mundiais em competições nacionais e internacionais. A remadora Josiane Lima também receberá a premiação. Josiane foi vice-campeã mundial de double skiff misto na Polônia, ao lado de Elton Santana.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Homenagem a Aldo Miccolis

Fonte: CPB

Faleceu na madrugada de segunda-feira Aldo Miccolis, presidente de honra do Comitê Paraolímpico Brasileiro. Miccolis estava com 78 anos e sofreu um ataque cardíaco, entre 0h30 e 1h. Carioca, deixa esposa e filhos, e todo paraolimpismo brasileiro órfão. O velório será na Igreja Batista do Méier (Rua Hermengarda, 31), a partir das 12h.

Aldo Miccolis era conhecido no movimento paraolímpico como “A Lenda”, por seu papel pioneiro no movimento paraolímpico brasileiro. Começou em 1958, quando ele foi convidado por Robson Sampaio para ser o diretor do centro esportivo do Clube do Otimismo, no Rio de Janeiro. Era o embrião do Comitê Paraolímpico. Miccolis ajudou a criar a Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE).

Foi diretor da entidade desde seus primeiros dias de existência, em 1975, até 2001. Ajudou na fundação da Confederação Brasileira de Desportos para Cegos (CBDC), foi vice-presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), e era o atual presidente de honra da entidade.

“Eu sou o João Halevange do movimento paraolímpico”, comparava, cheio de orgulho, citando o ex-presidente da Fifa e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), que completará um século de vida no Rio 2016. Todas as vezes que o Brasil participou de uma edição de Jogos Paraolímpicos, lá estava Miccolis acompanhando a delegação.

De tanto acumular lembranças Aldo se empenhava em abrir um memorial paraolímpico na antiga sede do Clube do Otimismo, no bairro do Méier. “Guardo comigo a primeira medalha paraolímpica do Brasil e a bocha utilizada por Robson Sampaio e Luis Carlos Costa”, gabava-se.

A dupla a qual se referia Miccolis levou a bandeira brasileira a um pódio paraolímpico pela primeira vez na história na charmosa cidade de Toronto, no Canadá, em 1976. Era a segunda participação brasileira em Jogos – a primeira ocorreu quatro anos antes em Heidelberg, na Alemanha. Eles foram prata na bocha.

Miccolis diz que tinha o maior acervo da história do movimento paraolímpico. “Conto com a colaboração de familiares de atletas que já faleceram. Muita gente me envia recordações de competições passadas”, explicava.

“É uma perda irreparável. Aldo Miccolis foi uma das pedras fundamentais do movimento paraolímpico brasileiro. Sua incomensurável contribuição ao longo de mais de 50 anos ao esporte para as pessoas com deficiência foi decisiva para que o Brasil hoje seja reconhecido como potência paraolímpica. É um dia muito triste para todos nós. Que as boas lembranças e nossa solidariedade possam aliviar o sofrimento de sua esposa e filhos”, diz Andrew Parsons, presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

PRÊMIO BRASIL PARAOLÍMPICO

O nadador Daniel Dias levou o troféu de melhor atleta masculino no Prêmio Brasil Paraolímpico, realizado terça-feira à noite, no Espaço Lamartine, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Na categoria feminina, Josiane Lima, vice-campeã mundial de remo na Polônia, classe double skiff misto, foi a vencedora.



Depois da brilhante participação no Mundial de Natação em Piscina Curta, com direito a oito ouros e oito recordes mundiais nas provas individuais, além de três pratas nos revezamentos, Daniel fechou o ano com mais uma conquista e agora só pensa em descansar.



“Quero agradecer primeiro a Deus, a meus patrocinadores, Mackenzie, Unimed Rio e ao Instituto Superar, além do Comitê Paraolímpico Brasileiro, que sempre nos deu apoio. E agradecer muito aos que votaram em mim e aos meus pais, que estão aqui, por terem me criado desse jeito”, disse Daniel, que este ano também ganhou o Laureus, o “Oscar do esporte mundial”, na categoria paraolímpica.



Josiane Lima fez um discurso emocionado. “Esse prêmio é para vocês, meninas, e para todos os atletas paraolímpicos. Sofremos preconceito porque existe um padrão de beleza e por isso temos de enxergar com o coração”, disse a remadora, que fez questão de agradecer também a Elton da Conceição Santana, seu parceiro no barco vice-campeão mundial.



Jonathan Santos e Viviane Soares faturaram o Prêmio de revelação masculina e feminina. O alagoano Jonathan bateu oito vezes o recorde mundial do arremesso de peso este ano. A carioca Viviane Soares, de 13 anos, brilhou no Mundial de Jovens, promovido pela IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esporte para Cegos), em Colorado Springs, em julho, e subiu três vezes ao ponto mais alto do pódio: nos 100m, nos 200m e nos 400 m rasos, na classe B3 (cego parcial).



Walquíria Campelo foi eleita a melhor treinadora. Ela é a responsável pelo treinamento de atletas como Jonathan Santos e Rosinha. O Futebol de Cinco (deficientes visuais) venceu na categoria melhor equipe. Jorge Luiz Souza, o Chocolate, ficou com o troféu de melhor atleta-guia pelo trabalho com Terezinha Guilhermina. Erinaldo Chagas foi eleito o melhor oficial técnico.



A TV Record ganhou o prêmio de melhor reportagem de TV, com uma reportagem sobre o halterofilismo. Saulo Cruz e Zero Hora ganharam nas categorias melhor foto e melhor reportagem de jornal, respectivamente, ambos sobre o nadador Daniel Dias.



O Prêmio Brasil Paraolímpico também prestou uma homenagem especial aos abnegados professores de educação física que, por muitas vezes, trabalham de graça para ajudar o movimento paraolímpico. O professor Francisco Matias, de Pernambuco, foi escolhido para receber a homenagem. Os depoimentos e a presença de Chico, que descobriu Rosinha, emocionou a todos no Espaço Lamartine.











OS PREMIADOS



Melhor atleta masculino: Daniel de Farias Dias



Melhor atleta feminino: Josiane Dias de Lima



Revelação Masculina: Jonathan de Souza Santos



Revelação Feminina: Viviane Soares



Melhor equipe: Futebol de 5



Melhor atleta-guia: Jorge Luiz, o Chocolate (guia da atleta Terezinha Guilhermina)



Melhor oficial Técnico: Erinaldo Batista das Chagas, o Pit



Melhor Técnico: Walquíria da Silva Campelo



Melhor Reportagem de TV: TV Record



Melhor Reportagem de Jornal: Zero Hora



Melhor Foto: Saulo Cruz



Prêmio Especial: homenagem aos professores de Educação Física Adaptada, representados por Francisco Matias

FONTES: CPB e INSTITUTO SUPERAR

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Urece é campeã mundial de futebol feminino

A Urece conquistou o primeiro Campeonato Mundial de futebol para mulheres cegas, realizado na Alemanha, na semana passada. A ONG tem parceria com o América.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

NATAÇÃO - CIRCUITO LOTERIAS CAIXA - ETAPA PORTO ALEGRE

FONTE: CPB

As provas de natação do 2ª Etapa Nacional Circuito Loterias CAIXA, em Porto Alegre, vão ficar marcadas não apenas pelos seis recordes mundiais estabelecidos pela consagrada dupla André Brasil e Daniel Dias. A etapa gaúcha vai ser lembrada, também, pelo excelente desempenho das meninas.

Na piscina da PUC-RS, elas foram responsáveis por 18 quebras de recordes brasileiros. Ao todo, 31 marcas nacionais foram registradas nos dois dias de competição. Os homens bateram 13 recordes, se não contarmos os recordes mundiais de Daniel e André.

A paulista Raquel Viel, que até 2008 não tinha participado de competições paraolímpicas, foi a maior recordista em Porto Alegre. Deficiente visual da classe S13, foi a melhor nos 100m costas e 100m borboleta, nos 200m medley e nos 400m livre. A atleta de 26 anos integrante da Associação Desportiva Indaiatubana, do interior paulista, ainda disputa neste ano o Mundial de piscina curta, na última semana de novembro, no Rio de Janeiro.

Com um recorde a menos, a jovem revelação paulista Paloma Garcia (PPP), da S5, registrou novas marcas nos 50m costas, 100m peito (SB4) e 150m medley (SM5). Ela é outra esperança de medalhas para o Brasil no Mundial deste mês.

Quatro nadadoras também deixaram Porto Alegre com pelo menos dois novos índices históricos: Ana Clara Cruz (100m costas e 50m borboleta); Ana Raquel Lins (100m costas e 200m medley); Leticia Lucas Ferreira (50m livre e 200m medley); e Regiane Nunes (100m costas e 200m medley).

A façanha delas só foi repetida no masculino pelo experiente Mauro Brasil (S9), nos 100m livre e 100m costas.

Recordes mundiais

Quando se fala em recordes mundiais o assunto é com Daniel Dias e André Brasil. O primeiro estabeleceu novo índice nos 200m medley, enquanto o atleta do Rio de Janeiro brilhou nos 50m livre.

Daniel era o dono da antiga marca nos 200m medley e neste domingo, em Porto Alegre, nadou para 02min51s23. André Brasil, por sua vez, fez 23s44 e também superou sua própria marca.

No dia anterior, cada um quebrara duas marcas mundiais. O carioca, nos 100m borboleta e nos 100m livre. Nos 100m livre, Daniel fez 1min10s56 enquanto André, 51s23. Nos 200m livre, o tempo do paulista foi de 2min31s58. Nos 100m borboleta, o carioca nadou para 56s16.

NATAÇÃO - RESULTADOS CIRCUITO BRASIL PARAOLÍMPICO - ETAPA RS

NATAÇÃO


50m livre - Feminino
01/11/2009 - Domingo - Manhã - 09:00h



Pos Atleta Classe Nasc. Clube Tempo
1 ANA RAQUEL MONTENEGRO BATISTA LINS S10 SADEF 00:34:65
2 TASSIA FERNANDES ALVES S10 CAPP 00:36:34
3 SUELY CRISTINA CARVALHO DE SOUZA S11 AJIDEVI 00:46:29
4 TAINARA FERREIRA ALVES S11 AAISR 00:49:04
5 ANA LUCIA GUILHERME NOVAES S2 TTC 02:07:25


Resultado Oficial - 3ª Etapa
Voltar
50m livre - Feminino
01/11/2009 - Domingo - Manhã - 09:00h

Pos Atleta Classe Nasc. Clube Tempo
1 ANA RAQUEL MONTENEGRO BATISTA LINS S10 SADEF 00:34:65
2 TASSIA FERNANDES ALVES S10 CAPP 00:36:34
3 SUELY CRISTINA CARVALHO DE SOUZA S11 AJIDEVI 00:46:29
4 TAINARA FERREIRA ALVES S11 AAISR 00:49:04
5 ANA LUCIA GUILHERME NOVAES S2 TTC 02:07:25



200m medley - Feminino
SM13 - 01/11/2009 - Domingo - Manhã - 10:30h


Pos Atleta Nasc. Clube Tempo
1 RAQUEL VIEL ADI 03:08:43
2 POLLYANE RODRIGUES MIRANDA UBERLANDIA-MG 03:22:76
3 MARIA NUBEA DOS SANTOS LINS CEIBC 03:30:46

RESULTADOS CIRCUITO BRASIL PARAOLÍMPICO

Foi realizada no final de semana passado a última etapa do Circuito Brasil Paraolímpico de Atletismo, Natação e Halterofilismo, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Abaixo o blog colocou alguns. Para mais informações, leia no site do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Arremesso de peso - F56 - FEMININO - CAMPEÃ: MARIA JOSELITA - 7m67cm - recorde brasileiro

100 m T11 - feminino - CAMPEÃ: Terezinha Guilhermina - 12s56

100 m t20 (deficientes intelectuais) - CAMPEÃ: EDNÚBIA COSTA (47 anos) - 13s52

100m T11 (cegueira total) - CAMPEÃO: LUCAS PRADO - 11s45

100m T20 (deficientes intelectuais) - CAMPEÃO: ALEXANDRE DE OLIVEIRA - 12s40

Lançamento de disco - F44 (deficiência física) - CAMPEÃO: FRANCISCO JEFFERSON - 41M49 - RECORDE BRASILEIRO

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

FUT-5 FEMININO!

O time de futebol para mulheres cegas da Urece será patrocinado pela Copagaz!!!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Romário brilha no Goalball

Romário Diego Marques é o craque do goalball brasileiro. Esse potiguar de Natal, de 20 anos, tem retinose pigmentar, e ajudou a seleção a conquistar as duas primeiras vitórias no esporte criado especialmente para deficientes visuais. Na estreia, contra a Argentina, uma goleada de 11 a 1. No segundo jogo, contra os venezuelanos, outra grande vitória: 13 a 3.

Apesar da pouca idade, ele faz jus ao nome e é um dos maiores goleadores da história do goalball. “Acho que já fiz mais de 500 gols”, calcula. Em dois jogos em Bogotá, já marcou 15 gols: oito contra a Argentina e sete contra a Venezuela.

Foi artilheiro do Brasil nos Jogos de Pequim, quando a seleção terminou em décimo lugar, foi artilheiro do Brasileiro do ano passado, com a Apace, sua equipe na Paraíba.

Ele falou a razão pela qual se chama Romário. “Meu pai é flamenguista fanático e decidiu homenagear Romário”, contou o atleta.

Em 1989, quando nasceu o Romário do goalball, o outro Romário (o do futebol) atuava pelo PSV Eindhoven, da Holanda, e só viria a defender o Flamengo seis anos mais tarde.

FONTE: CPB

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Danilo Glasser brilha no Mundial para veteranos

Sydney, Austrália - O nadador paraolímpico Danilo Glasser, classe S10 (atletas com menor comprometimento físico), fechou muito bem sua participação no Mundial Master, realizado na Austrália de 9 a 18 deste mês.

Glasser conquistou cinco medalhas de ouro. " A competição foi boa. Consegui nadar no esforço máximo e agora é continuar os treinos visando o mundial de piscina curta no final do ano (no Rio), pois vai ser mil vezes mais forte e competitivo. Sei que estou no caminho certo. Estou feliz e louco para voltar ao Brasil com essas medalhas e matar a saudade da minha família, amigos e companheiros que me apoiaram." disse Glasser que chega ao Brasil na próxima segunda-feira, dia 19.

O próximo compromisso do nadador será o Circuito Brasil Paraolímpico de Natação, em Porto Alegre mos dias 30 de outubro e 1 de novembro, evento onde todos os 30 nadadores convocados pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro para o Mundial de Piscina Curta, organizado pelo IPC (Comitê Paraolímpico Internacional), estarão presente. "Chego de viagem e já tenho que ir para piscina pois já em Porto Alegre vou encontrar os dois melhores nadadores do ranking mundial paraolímpico que são os brasileiros Andre Brasil e Phelipe Rodrigues", completou o nadador.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

RIO É A SEDE DOS JOGOS PARAOLÍMPICOS DE 2016!

'Adiós, Madrid!'. O Rio de Janeiro foi escolhido a sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. A festa foi muito bonita e emocionante, principalmente para quem trabalha com esporte, mas serei um pouco 'espírito de porco'. Como cidadãos, devemos aproveitar o momento para refletir e lutar por melhorias no município. A acessibilidade, o transporte e outros assuntos relevantes merecem atenção especial das autoridades. Tomara que os Jogos Paraolímpicos no Rio façam os governantes olharem MUITO MAIS à vida das pessoas com deficiência.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

OLIMPEDE

A XIV edição da Olimpede começou nesta sexta-feira (18 de setembro) e vai até segunda-feira (21 de setembro), em Volta Redonda (RJ). O evento abrange atletas com Síndrome de Down e Paralisados Cerebrais (comprometimento físico), que disputam modalidades como natação, atletismo, vôlei, futsal, tênis de mesa, entre outras.


Neste ano, acontecem em paralelo à Olimpede o 2º Campeonato Brasileiro de Judô para Surdos, o Campeonato Estadual de Basquetebol em Cadeira de Rodas e o 1º Torneio Olimpede de Futebol para Paralisados Cerebrais.


No total, estão inscritos para as competições mais de 3.200 atletas pertencentes à 110 entidades de 56 municípios do país. O ícone paraolímpico da natação, Clodoaldo Silva, e o tetracampeão paraolímpico do judô para cegos, Antônio Tenório, confirmaram presença na cerimônia de abertura, realizada nesta sexta.

Alexandre Vasconcellos
TV BRASIL
www.amvasconcellos.blogspot.com

domingo, 16 de agosto de 2009

Uma dupla infernal

Daniel Dias e Andre Brasil fecharam o Meeting Internacional de Natação com 100% de aproveitamento e garantiram, juntos, seis medalhas de ouro para o Brasil.

Neste domingo, último dia de competição no Parque Aquático Julio Delamare, no Rio de Janeiro, Andre Brasil venceu a prova dos 400 metros. Ontem, conquistou o ouro nos 100m livre.


Daniel Dias venceu os 200m livre e os 100m peito (classe S5). No sábado, Daniel triunfou nos 100m livre e os 200m medley.

O ouro mais suado veio na prova dos 100m peito, considerado por Daniel o seu estilo mais fraco. O colombiano Moises Fuentes colou no brasileiro nos 50 primeiros metros, mas perdeu fôlego após a virada e Daniel Dias disparou.



“Este foi o meu melhor resultado nesta prova, igualando o meu tempo em Pequim (1'40'') quando peguei a prata nos 100m peito. Isso mostra que o trabalho está dando resultado. Agora é focar no Mundial. Espero continuar assim até lá”, disse Daniel.

sábado, 15 de agosto de 2009

Meeting de Natação - resultados

Confira alguns resultados do Meeting Paraolímpico de Natação, realizado no Parque Aquático Júlio Delamare, no Rio, durante esse final de semana. No primeiro dia da competição, Daniel Dias (S5) foi o destaque com duas medalhas de ouro, nos 100m e 200m medley. Andre Brasil venceu os 100m livre S10. Adriano Lima triunfou nos 100m livre S6, com o tempo de 1min10s40, e quebrou o próprio recorde após 16 anos. Já Mauro Brasil conquistou o ouro nos 100m livre S9. Verônica Almeida terminou com a prata nos 50m borboleta S7.

100m Masculino (S5)


1 - Daniel de Faria Dias BRA 01:13:51


2 - Moises Fuentes COL 01:30:39


3 - Ariel Quassi ARG 01:40:60




100m Masculino (S10)


1 - André Brasil Esteves S10 BRA 00:51:84


2 - Phelipe Andrew Melo Rodrigues S10 BRA 00:54:66


3 - Marcelo Collet e Silva Mauro S10 BRA 00:58:93




100m Feminino (S4)


1- Jennie Ekstrom S4 SWE 01:56:59


2 - Nely Miranda S4 MEX 01:57:91


3 - Edênia Nogueira Garcia S4 BRA 02:02:18




100m Feminino (S6)


1 - Miranda Uhl USA 01:25:40


2 - Casey Johnson USA 01:27:98


3 - Doramitzi Gonzalez MEX 01:30:43


4 - Trejo Vianney MEX 01:30:81


5 - Ana Clara Carneiro Grillo Cruz BRA 01:37:93


6 - Maria Liduina Patricio de Souza BRA 02:08:47


7 - Sara Silva Barros BRA 02:15:74




100m Feminino (S8)


1 - Amanda Everlove USA 01:16:34


2 - Valeria Santarém Lira BRA 01:20:70


3 - Maria Hernandez MEX 01:27:60


4 - Milene Souza da Silva BRA 01:40:73




100m Feminino (S9)


1 - Elizabeth Stone USA 01:07:40


2 - April Kerley USA 01:07:75


3 - Daniela Gimenez ARG 01:10:48


4 - Camille Rodrigues Ferreira Cruz BRA 01:12:12


5 - Gabriela Cantagallo BRA 01:16:08


6 - Paola Mosquera COL 01:19:43


7 - Joana Maria J. Da Silva BRA 01:32:72


8 - Pamella Cristina Cruz de Andrade BRA 01:34:63




100m Masculino (S6)


1 - Adriano Gomes de Lima BRA 01:10:40


2 - Alvarez Castillo CUB 01:12:46


3 - Claúdio Portilho Magalhães BRA 01:22:52


4 - Marco Aurelio Serafim Quaresma BRA 01:24:56


5 - Diego Pastore ARG 01:25:70


6 - Luis Antônio Correia da Silva BRA 01:27:55


7 - Amado De La Rosa MEX 01:28:38


8 - Danielson Pontes BRA 01:28:46




200m medley Masculino (S5)


1- Daniel de Faria Dias SM5 BRA 03:01:67


2 -Moises Fuentes SM5 COL 03:38:13


3 -Ivanildo Vasconcelos SM5 BRA 03:40:61

TEMPOS MODERNOS - PARTE 1

O esporte paraolímpico passa por um processo gigantesco de profissionalização. De acordo com profissionais ligados ao movimento, desde os Jogos Paraolímpicos de Atenas-2004, quando Clodoaldo Silva conquistou seis medalhas de ouro, o desporto adaptado vem dando sinais de que deveria ser tratado como alto rendimento. Outras gestões do Comitê Paraolímpico Brasileiro ensaiaram a profissionalização, investindo muito na área de comunicação, mas o momento de transformação vem acontecendo a partir da Paraolimpíada de Pequim, realizada no ano passado.

Nadador da classe S2, Adriano Galvão, de 47 anos, opinou sobre a mudança quase radical. “O esporte paraolímpico avançou muito. Atualmente, os atletas paraolímpicos podem dizer que possuem muita dignidade e respeito”, disse Adriano, que defende a Cadef-RN e tem 13 anos de carreira.

O técnico de Daniel Dias, Marcos Rojo, falou de outros pontos importantes no processo de profissionalização do esporte adaptado.

“Com os bons resultados de Atenas, principalmente do Clodoaldo (Silva), um ano depois, em 2005, a natação conquistou um circuito com patrocinador forte. O Ministério do Esporte passou a acompanhar e apoiar mais ainda, através de bolsas para os atletas. E aí, outros institutos surgiram, como o Superar, criando a ponte entre esses nadadores e a iniciativa privada. Agora, as empresas também sabem que as pessoas com deficiência são importantes para o retorno financeiro e a imagem das corporações”, disse Marcos.

Daniel Dias concordou com o treinador. “Fico muito feliz com esse apoio. São os atletas que sentem o grande retorno desses tempos de modernização e profissionalização do esporte paraolímpico. Os atletas não têm do que reclamar”, afirmou o campeão das piscinas.

Continuarei a escrever sobre a profissionalização do esporte adaptado durante a semana.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Meeting de Natação

Daniel Dias terá um grande desafio no Meeting Internacional Paraolímpico Loterias CAIXA de Natação. O colombiano Moisés Fuentes pretende quebrar um jejum de três competições internacionais e vencer o brasileiro em casa, no Parque Aquático Júlio Delamare, no Rio de Janeiro, neste final de semana.
Fuentes é um antigo rival de Daniel Dias. No Meeting Internacional, ele vai nadar os 100m peito, 100m livre, 200m livre e 200m medley. É na prova de peito, a última de domingo, que o colombiano espera conquistar a medalha de ouro. Nessa prova, nos Jogos Paraolímpicos de Pequim, em 2008, Fuentes ficou com o bronze, atrás de Daniel Dias, que terminou com a prata. Nas duas edições anteriores do Meeting Internacional Paraolímpico Loterias CAIXA, em 2007 e 2008, o colombiano também perdeu para o brasileiro.

“Preciso de uma oportunidade para ganhar dele. E vai ser neste final de semana, no Rio de Janeiro”, prometeu Moisés Fuentes, paraplégico. “Estou muito preparado para a prova de peito, meus tempos estão muito próximos aos do Daniel. Graças a isso estou confiante”.

Apesar da confiança exacerbada do visitante, o brasileiro encara com bom humor a disposição de Fuentes em batê-lo. “Do mesmo jeito que ele quer me vencer, eu também quero chegar em primeiro. Assim é melhor, porque teremos mais emoção na prova dos 100m peito”, disse.

Cerca de 70 atletas de 11 países participarão do Meeting Internacional Paraolímpico Loterias CAIXA de Natação.


FONTE: CPB

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Atletas paraolímpicos vibram com novo site de relacionamento

Não depender de ninguém. Essa é a luta das pessoas com deficiência no cotidiano. Pensando nisso, o Instituto Superar lançou hoje pela manhã, no Rio de Janeiro, um site de relacionamento diferente. O Acesse é uma nova ferramenta de comunicação com o intuito de incluir as pessoas com deficiência à Internet, principalmente aquelas com cegueira total. Recordista mundial dos 100 e 200 metros para cegos, Lucas Prado fez uma pequena demonstração do site, que descreve fotos e lê todo o conteúdo através de um programa de voz, o Jaws.

“Esse site vai renovar a mentalidade das pessoas. Isso vai acabar com a ideia de que o deficiente não pode acessar a Internet. A barreira foi quebrada a partir de hoje”, disse Lucas, medalhista de ouro nos Jogos de Pequim-2008 nos 100m, 200m e 400m T11 (cegueira total).

Lucas Prado falou também da dificuldade que encontrava em sites de relacionamento
mais antigos. “Antes eu não conseguia fazer nada. E pedir para uma pessoa que enxerga fazer para você é muito chato”, afirmou o campeão.
A criação do site Acesse deixou eufóricos outros campeões. Medalha de ouro dos 200 metros para cegos na Paraolimpíada de Pequim, Terezinha Guilhermina era só alegria.

“O mundo inteiro vai saber que a gente pode. Antigamente, não conseguia colocar minhas fotos e depoimentos. Tinha de pedir ajuda. Agora, a acessibilidade vai realmente existir, pois vou me virar sozinha. Dessa vez, eu vou responder as mensagens diretamente sem precisar de ninguém”, disse a grande velocista.

domingo, 9 de agosto de 2009

Meeting Internacional de Atletismo

Terezinha Guilhermina foi a grande vencedora do Super Desafio nos 100m do Meeting Internacional de Atletismo, disputado no Estádio Célio de Barros, no Rio de Janeiro.

A prova era multiclasses, reunindo atletas com variadas deficiências. Atleta cega (classe T11), Terezinha não decepcionou e levou a melhor entre as cinco competidoras. A principal adversária da brasileira era a cubana Yunidis Castillo, recordista mundial na classe T46 e bicampeã paraolímpica em Pequim.

Terezinha, dona dos recordes mundiais nos 100m e nos 400m e campeã paraolímpica nos 200m, prata nos 100m e bronze nos 400m, levava uma certa desvantagem, já que deficientes visuais costumam ser mais lentos do que atletas amputados. Porém, a determinação e o incentivo do guia Chocolate foram fatores decisivos para a conquista.

“Desafio é o meu prato favorito. O meu segredo é apenas treino. A Yunidis é uma atleta muito boa. Agradeço sempre que tenho de correr contra ela, pois isso me estimula a buscar bons resultados. Corri contra Yunidis em 2006. Ela venceu os 100m e eu, os 200 metros. Estava engasgada com a prova dos 100m”, contou Terezinha que completou a prova em 12s44.

A dupla Terezinha/ Chocolate também levou o ouro na prova dos 200m. Na hora da premiação, a corredora deu a medalha para o guia Chocolate em reconhecimento à parceria vitoriosa.

Emicarlo de Souza, patrocinado pela Unimed Natal e pela Universidade Potiguar, foi outro que garantiu um bom resultado. O corredor da classe T46 venceu a prova dos 400m fechando em 50s11, o melhor tempo do atleta no ano.

O fundista Odair Ferreira foi outro destaque do dia. O corredor sobrou na prova dos 5000m e chegou quase sete segundos à frente do segundo colocado.

Brasil mostra a sua cara no Meeting de Atletismo

Os brasileiros conseguiram excelentes resultados no Estádio Célio de Barros, no Rio de Janeiro, local onde foi disputado o Meeting Internacional Paraolímpico de Atletismo.


Alan Fonteles, de apenas 16 anos e medalhista de prata nos Jogos de Pequim no revezamento 4x100, voltou a bater o recorde brasileiro nos 100m (classes T43/44), com o tempo de 11s54. Há duas semanas, o atleta (biamputado) estabeleceu uma nova marca nacional na etapa de Brasília.

“Fico feliz de ter representado bem o Brasil. Larguei atrás, mas consegui me recuperar nos 50 metros finais”, contou Alan.

O fundista Odair dos Santos Ferreira, atleta com baixa visão, levou a melhor na prova dos 1500 metros (Classes T11/12/13).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Meeting Internacional de Atletismo

O Meeting Internacional Paraolímpico de Atletismo será disputado neste final de semana no Estádio Célio de Barros, no Rio de Janeiro. A competição reunirá 50 atletas de dez países.

Neste sábado, os homens disputam o título de atleta paraolímpico mais rápido do Meeting Internacional-2009, a partir de 11h40. Serão cinco brasileiros contra um norte-americano e um grego.

“Vai ser uma ótima prova. Além do Jerome Singleton, o Delfino está muito bem”, lembrou Lucas Prado. Jerome Singleton e Antônio Delfino são amputados.

No feminino, a prova está prevista para 12h de domingo e vai contar com cinco atletas, entre elas a cubana Yunidis Castillo, campeã em Pequim nos 100m e nos 200m.

Com deficiência no braço direito, pois possui metade do membro, a atleta correrá com a mineira Terezinha Guilhermina, deficiente visual, dona de três medalhas na Paraolimpíada de Pequim (ouro nos 200m, prata nos 100m e bronze nos 400m).

Outro atrativo é a presença de Joaquim Cruz, técnico da equipe de atletismo paraolímpico dos Estados Unidos. Sua delegação conta com três atletas. Jerome Singleton é o principal nome dos Estados Unidos e participará do grande desafio multiclasses deste sábado.

A entrada do público é gratuita.

PROGRAMAÇÃO
Ordem das provas
SÁBADO
Lançamento de Disco - Classes: F53/58 - Feminino
1500 metros - Classes: T11/12/13 - Masculino
100 Metros - Classes: T37/38 - Masculino
100 Metros - Classes: T43/44 - Masculino
Lançamento de Disco - Classes: F36/37 - Feminino
100 Metros - Classe: T11 - Feminino
200 Metros - Classe: T11 - Masculino
200 Metros - Classe: T46 - Masculino
200 Metros - Classes: T53/54 - Masculino
100 Metros Super Desafio - Masculino

DOMINGO
400 Metros - Classe: T46 - Masculino
Arremesso de Peso - Classes: F53/58 - Feminino
5.000 Metros - Classes: T11/12/13 - Masculino
Lançamento de Dardo - Classes: F36/37 - Feminino
200 Metros - Classes: T37/38 - Masculino
200 Metros - Classes: T43/44 - Masculino
200 Metros - Classes: T11 - Feminino
400 Metros - Classes: T53/54 - Masculino
400 Metros – Classe: T11 - Masculino
100 Metros Super Desafio - Feminino

Fonte: Comitê Paraolímpico Brasileiro

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Tênis paraolímpico

O Brasil voltará a disputar a principal divisão do Mundial de Tênis de Cadeirantes em 2010. No final de semana passado, a equipe formada por Maurício Pommê, Daniel Rodrigues e Carlos Jordan dos Santos, comandada por Michel Bandeira, terminou o Grupo II da competição, disputada em Nottingham, na Inglaterra, em terceiro lugar. No domingo, os brasileiros carimbaram a classificação ao Grupo I ao vencerem a Argentina por 2 a 0.

A terceira colocação no Grupo II do Mundial foi conquistada no sábado, na vitória por 2 a 0 sobre o Canadá. Porém, para conquistar o principal objetivo na competição, os brasileiros precisavam vencer a Argentina nos Play-Offs. Daniel Rodrigues foi o primeiro a entrar em quadra e venceu Guillermo Camusso por 2 a 0 (6/4 e 7/6). Na sequência, Jordan venceu Gustavo Fernandes por 2 a 1 (3/6, 6/3 e 6/3).

O Mundial de Cadeirantes também marcou a estreia da equipe juvenil do Brasil. A equipe de Natalia Mayara e Pedro Rocha terminou a competição em sexto lugar.

domingo, 26 de julho de 2009

Recordes no Circuito Brasil Paraolímpico

O sábado foi de festa para o atletismo com a quebra de quatro recordes nacionais na Etapa Regional Centro-Leste do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico.
No primeiro dia de prova, Alan Fonteles bateu os recordes dos 100m e 200m rasos (T44), com os tempos de 11s96 e 23s49, respectivamente. Alan, de 16 anos, é o único atleta biamputado do país e foi medalha de prata no revezamento 4x100m em Pequim.
Outra atleta medalhista na Paraolimpíada-2008, Shirlene Coelho foi o destaque feminino nas provas de lançamento de disco e arremesso de peso. Ela lançou o disco a uma distância de 23,83m e cravou 10,31m no arremesso de peso, estabelecendo novos recordes.
Já Paulo Douglas chegou a novas marcas nas provas de lançamento de dardo (38,21m) e de disco (36,71m). Terezinha Guilhermina confirmou o favoritismo e venceu os 100m rasos (T11), prova em que é a atual campeã mundial. A corredora cega também chegou em primeiro lugar nos 200m, prova em que conquistou a medalha de ouro em Pequim.

sábado, 25 de julho de 2009

Ministro entrega medalha a grande campeão

O ministro do Esporte, Orlando Silva, prestigiou o nadador da classe S5 Daniel Dias, neste sábado, no Complexo Aquático do Centro Poliesportivo Ayrton Senna, em Brasília. O atleta disputa a última etapa regional do Circuito Brasil Paraolímpico, a Centro-Leste. Daniel participou de três provas (100m peito, 200m livre e 50m costas) e não encontrou dificuldades para vencê-las. Eleito recentemente o melhor atleta paraolímpico do mundo, recebeu a medalha de ouro dos 200m livre das mãos do ministro Orlando Silva.

“É uma glória para o Brasil ter Daniel Dias como o maior atleta do mundo. Com este prêmio, ele colocou o seu nome na história. Isso faz dele uma referência para todos os jovens que praticam esporte, não só o paraolímpico como para o desporto em geral”, afirmou Orlando Silva.


Daniel Dias voltará à piscina no domingo. Ele disputará os 50m livre, 50m borboleta e os 200m medley.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

PEQUENO GRANDE HERÓI

A crônica abaixo foi utilizada no Stadium, programa esportivo da TV BRASIL, no domingo passado em homenagem ao Dia Internacional Paraolímpico, comemorado em 11 de julho. As imagens do grande Lucas Emanuel Ito, nadador com deficiência nos braços e pernas, comoveram a todos, com a demostração de força de vontade.

"QUEM NUNCA FICOU CABISBAIXO APÓS UMA DERROTA NO DIA-A-DIA?

QUEM NUNCA PENSOU EM DESISTIR DOS PRÓPRIOS SONHOS E PENSOU SER INCAPAZ DE REALIZAR UMA DETERMINADA TAREFA?

BEM... LUCAS EMANUEL ITO MOSTRA QUE O SER HUMANO É CAPAZ DE REALIZAR TUDO QUE DESEJA.//

QUEM DISSE QUE EXISTEM LIMITES PARA O HOMEM? O NADADOR DA CLASSE S-1 LUCAS EMANUEL ITO PROVA QUE O VERBO MAIS IMPORTANTE DA LÍNGUA PORTUGUESA É QUERER. E BASTA QUERER PARA PODER.

CADA VEZ QUE LUCAS ENTRA NA PISCINA PARA COMPETIR, VEMOS QUE OS OBSTÁCULOS COTIDIANOS SÃO PEQUENOS PERTO DA GRANDIOSIDADE DO HOMEM.

INCAPACIDADE É UMA PALAVRA INEXISTENTE NO VOCABULÁRIO DESTE CAMPEÃO. IMPOTÊNCIA NÃO FAZ PARTE DA VIDA DE LUCAS.

PARA SUPER-ATLETAS, OS RECORDES SÃO IMPORTANTES E AS MEDALHAS TAMBÉM. MAS, NO DIA INTERNACIONAL PARAOLÍMPICO, COMEMORADO NO DIA 11 DE JULHO, ESSES GRANDES HOMENS LEMBRAM A TODOS SOBRE A IMPORTÂNCIA DA FRASE 'QUERER É PODER'.

ELA ESTÁ NA BOCA DO POVO E ALGUMAS VEZES É ATÉ BANALIZADA, MAS TALVEZ SEJA UMA DAS FRASES MAIS INTELIGENTES DE TODOS OS TEMPOS."

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Atleta de ponta vende material esportivo para se sustentar

Uma notícia triste para o esporte paraolímpico brasileiro. Uma das melhores mesatenistas do país, Jane Karla Rodrigues está sem patrocínio. Porém, a atleta não se deu por vencida. Agora, para conseguir dinheiro para competir, Jane vende material esportivo.

O Governo do Estado de Goiás deu uma ajuda de custo à medalhista parapan-americana em algumas competições internacionais, mas isto é muito pouco para uma atleta do gabarito de Jane Rodrigues.

terça-feira, 23 de junho de 2009

COPA FABIANO PEIXOTO



Uma competição especial. A quinta edição da Copa Fabiano Peixoto acontecerá no dia 25 de julho, nos campos 7 e 9 do Aterro do Flamengo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Atletas com e sem deficiência podem participar. Cada equipe deve inscrever apenas um jogador sem deficiência. Será a primeira vez que os cegos participarão do torneio. As inscrições serão abertas nessa semana. O Instituto Brasileiro dos Direitos das Pessoas com Deficiência é o organizador da confraternização inclusiva. Para quem não sabe, Fabiano Peixoto foi um atleta da Seleção de Futebol de Sete, esporte dedicado a paralisados cerebrais (deficiência física e na voz). Peixotinho, como era conhecido, morreu em 2005.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

DANIEL DIAS É O MELHOR DO MUNDO!

O nadador paraolímpico Daniel Dias recebeu nesta segunda-feira, em Londres (Inglaterra), o Laureus Sports Awards, o Oscar do esporte, de melhor atleta com deficiência em 2008. Maior medalhista paraolímpico em Pequim, conquistou quatro medalhas de ouro, quatro pratas e um bronze.

“Fico emocionado porque esse prêmio é a prova da importância do esporte paraolímpico no cenário mundial. Quero compartilhar com todos os brasileiros essa alegria que estou sentindo”, comemorou o nadador.

Grandes nomes concorreram com Daniel. A norte-americana April Holmes (atletismo), o inglês Darren Kenny (ciclismo), o sueco Jonas Jacobsson (tiro), a espanhola Teresa Perales (natação) e o chinês Zhang Lixin (atletismo) eram adversários fortes na luta pelo Laureus.

Daniel Dias é o primeiro paraolímpico brasileiro a vencer o Laureus. O país já venceu em outras categorias, com Pelé (2000), Bob Burnquist (2002) e Ronaldo Fenômeno e a seleção de futebol (2003).

Por causa da crise econômica, a organização do evento não fez uma cerimônia de gala, como nas nove edições anteriores. O troféu foi entregue aos vencedores individualmente. Daniel recebeu o seu 'Oscar' em uma pequena cerimônia em Londres.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Tiro certeiro

No Gand Prix da França de Tiro Esportivo, realizado entre os dias 20 e 24 de maio, o atleta Carlos Garletti, como o povo diz, acertou na mosca. Ele conquistou o bronze na prova de carabina deitada.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Lucas Prado está de volta!

O atleta Lucas Prado e o guia Justino Barbosa estão em São Paulo para a etapa regional do Circuito Brasil Paraolímpico de Natação e Atletismo. As provas acontecem nos dias 16 e 17 de maio no Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães (Ibirapuera). Lucas disputará os 100, 200 e 400m rasos.

“Vou começar o ano com tudo. Quero 'bater' minhas marcas nos 100m e 400m. Estou confiante e pensando em recorde mundial”, contou Lucas Prado, dono dos recordes mundiais nas duas provas mais curtas - os 100 e 200 - e sonha com a melhor marca de todos os tempos nos 400m rasos. “Esse recorde quase veio em Pequim. Foi por pouco”, afirmou.

domingo, 26 de abril de 2009

Parapan de cegos

Segundo a Confederação Brasileira de Desportos para Cegos (CBDC), Os Jogos Parapan-americanos para atletas cegos e com baixa visão acontecerão entre 15 e 20 de julho, em Colorado Springs, nos Estados Unidos. A seleção brasileira de goalball realizará a primeira fase de treinamentos de 14 a 22 de maio, na Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (Andef), no Rio de Janeiro.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Daniel e o Laureus

Fonte: Comitê Paraolímpico Brasileiro

A organização do Laureus divulgou os finalistas do chamado Oscar do esporte. O Brasil será representado na categoria atleta paraolímpico por Daniel Dias, o maior medalhista em Pequim-2008. Ele conquistou quatro medalhas de ouro, quatro pratas e um bronze. Na categoria paraolímpica também disputarão o prêmio a norte-americana April Holmes (atletismo), o inglês Darren Kenny (ciclismo), o sueco Jonas Jacobsson (tiro), a espanhola Teresa Perales (natação) e o chinês Zhang Lixin (atletismo).

“É uma satisfação para o Comitê ter um brasileiro do quilate do Daniel disputando o prêmio Laureus. O Brasil tem participado regularmente das ultimas edições com atletas de alto rendimento”, afirmou o presidente do CPB, Andrew Parsons.

O nadador Michael Phelps, o velocista Usain Bolt, o tenista Rafael Nadal, o piloto Lewis Hamilton, o jogador de futebol Cristiano Ronaldo e o motociclista Valentino Rossi vão concorrer ao prêmio de melhor esportista de 2008.

Na categoria feminina concorrem a saltadora russa Yelena Isinbayeva, a fundista etíope Tirunesh Dibaba, a esquiadora norte-americana Lindsey Vonn, a nadadora australiana Stephanie Rice, a golfista mexicana Lorena Ochoa, e a tenista norte-americana Venus Williams.

Nesse ano, a organização do evento não fará uma cerimônia de gala como nas nove edições anteriores. O troféu será entregue aos vencedores individualmente entre maio e junho de 2009.

Confira abaixo os concorrentes das outras categorias do Laureus:

Melhor equipe do ano: Boston Celtics (basquete), China (delegação olímpica), Grã-Bretanha (ciclismo), Jamaica (atletismo), Manchester United (futebol) e Espanha (futebol)



Melhor esportista radical do ano: Julien Absalon (mountain bike), Stephanie Gilmore (surfe), Aaron Hadlow (kiteboard), Tanner Hall (esqui), Kelly Slater (surfe) e Shaun White (snowboard)

Melhor retorno do ano: Vitali Klitschko (boxe), Anna Meares (ciclismo), Greg Norman (golfe), Matthias Steiner (levantamento de peso), Maarten van der Weijden (natação) e Tiger Woods (golfe)

Revelação do ano: Rebecca Adlington (natação), Novak Djokovic (tênis), Ana Ivanovic (tênis), Anthony Kim (golfe), Sebastian Vettel (Fórmula 1) e Zou Kai (ginástica artística)

domingo, 12 de abril de 2009

Grande Alarico Moura!

Quero utilizar o espaço para agradecer a uma pessoa muito especial. O nome dele? Alarico. Esse sujeito me ensinou muito em duas horas de papo. Ele trata sua deficiência (Alarico é amputado da perna esquerda) com muito bom humor, além de ser um ciclista fora de série e um artista plástico fantástico. Foi uma das melhores entrevistas já concedidas para o quadro Brasil Paraolímpico, do programa Stadium (TV BRASIL). Parabéns, Alá!!!

terça-feira, 31 de março de 2009

Clodoaldo recebe o título de Embaixador da Cultura da Paz e da Justiça

O atleta Clodoaldo Silva foi convidado a participar do IV Encontro Bimestral dos Membros Associados do CICESP - Sp. Na ocasião, o Conselho Nacional de Honrarias e Méritos celebrará a entrega da certificação de 'Personalidade do Ano' aos destaques de 2008.

O nadador não ficará somente como mero expectador, ele será homenageado pelo Conselho Internacional de Honrarias e Méritos e receberá o honroso título de Embaixador da Cultura da Paz e da Justiça no Mundo por suas atuações dentro e fora das piscinas.

Em seção solene será outorgada a certificação dos fundadores da soberana Ordem do Mérito da Justiça, da Cruz do Mérito do Empreendedor Jucelino Kubitschek (Jóia de JK), que passaram a integrar a honrosa lista de membros ao lado de autoridades, entidades e personalidades como Rede Globo, Furnas Centrais Elétricas, Memorial JK, Banco do Brasil, Comitê Olímpico Brasileiro, Clodoaldo Silva, José Wilker, Marília Pêra, Lázaro Ramos, Ney Latorraca, Wanessa Camargo, Nando Reis, Diego Hypólito, Jade Barbosa, Marina Elali, Bruna Lombardi, Seu Jorge, Milton Nascimento, Lulu Santos, Oscar, Guga, Ayrton Senna, Austronauta Marcos Pontes, a filha de JK e presidente de honra da ordem, Maria Estela Kubitschek, e outros grandes nomes do nosso país.

O Tubarão não para de fazer história. No ano de 2006, ele recebeu a comenda da Cruz de mérito do empreendedor Jucelino Kubitschek. Foi a primeira pessoa com deficiência e também o único atleta paraolímpico do país a entrar no hall de comendadores da mais alta condecoração da sociedade brasileira: a Cruz do Mérito do Empreendedor Jucelino Kubitschek, reconhecida como "Jóia de JK".

Parceria da superação

O Instituto Superar inicia uma nova modalidade de parceria no esporte paraolímpico: o apoio aos clubes do país. Inicialmente três clubes fazem parte desse projeto: a AETERJ (RJ), SADEF – RN e a 3in (São Paulo). A parceria tem como objetivo investir diretamente nas instituições, valorizando o trabalho dos clubes no processo de descoberta de novos talentos e manutenção dos atletas de alto rendimento em seus quadros.

domingo, 15 de março de 2009

Assim vivemos

A nova série da TV Brasil - Assim Vivemos - estreou nesse domingo, dia 15 de março, contemplando todas as acessibilidades para pessoas com deficiência. Com essa nova exibição semanal, a TV Brasil abre espaço para a discussão dos problemas enfrentados pelos deficientes. Essas dificuldades, pouco debatidas pela sociedade, são vividas por mais de 24,5 milhões de brasileiros que, de alguma forma, são excluídos do mercado de trabalho e do convívio na sociedade. Isto significa que, de cada 100 brasileiros, no mínimo 14 deles apresentam alguma limitação física, sensorial ou intelectual, que coloca o Brasil entre os países que possuem o maior número de pessoas com deficiências.

A TV pública exibe o programa Assim Vivemos cumprindo seu objetivo de debater e mostrar os problemas que envolvem a população brasileira e, ao mesmo tempo, contribuindo para a construção da cidadania e a inclusão de todos os brasileiros.

A série mostrará histórias de inclusão e superação no Brasil e no mundo, veiculando filmes e depoimentos que mostram que é possível quebrar barreiras, paradigmas e superar preconceitos culturais e de costumes. Composto de 26 episódios, cada programa mostrará sempre a vida de um personagem e um ou dois documentários. A apresentação será de Moira Braga e Nelson Pimenta.

terça-feira, 10 de março de 2009

Parceria

O Instituto Superar e a Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE)  firmaram na última semana um acordo de cooperação técnica. Através dessa parceria, as duas instituições passam a trocar expertise em projetos e realizações de eventos do desporto paraolímpico.

“As duas instituições saem ganhando com essa parceria, pois trabalharemos de forma complementar. A ANDE, com sua experiência, tem muito a oferecer na área técnica. E por outro lado, o Superar tem toda a sua estrutura de marketing e comunicação, contribuindo para o crescimento do esporte paraolímpico como um todo”, afirmou Ivaldo Brandão, presidente da ANDE.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

CBDC em apuros - Seis meses depois...

Gostaria de parabenizar a repórter Renata Puccinelli, do Díário Lance, pelas ótimas reportagens sobre a crise na Confederação Brasileira de Desportos para Cegos. Pretendo apenas deixar claro que o histórico desta crise já havia sido publicado por este blog no dia 8 de agosto de 2008.

Para complementar o belo trabalho da jornalista publicarei novamente o comunicado da CBDC de 4 de agosto de 2008.

“Fundada em 19 de janeiro de 1984, a Confederação Brasileira de Desportos para Cegos (CBDC) é a entidade responsável pela gestão da prática esportiva para as pessoas com deficiência visual em nosso país nas modalidades: Judô, Goalball, Futebol de 5, Atletismo, Natação, Xadrez e Powerlifting (levantamento de peso). A CBDC, que congrega aproximadamente 130 entidades e quase 3 mil atletas, é filiada ao Comitê Paraolímpico Brasileiro e, no plano internacional, a IBSA, a Federação Internacional de Esportes para Cegos.

Durante toda a sua existência, a entidade alcançou, juntamente com o segmento, grandes conquistas, simbolizadas no grande número de eventos que realizou em âmbito nacional, nas inúmeras medalhas e recordes internacionais e, até mesmo, nos grandes eventos internacionais que realizou no Brasil. Dentre os vários eventos que sediamos em nosso país, certamente, o maior foi a 3ª edição dos Jogos Mundiais para Cegos, nas cidades de São Paulo e São Caetano do Sul, no período de 28 de julho a 8 de agosto de 2007, com a participação de aproximadamente 1.700 pessoas de 61 países. Este evento foi classificatório para os Jogos Paraolímpicos de Pequim-2008, e contou com uma estrutura compatível com qualquer grande realização esportiva internacional, inclusive, com a quebra de 24 recordes mundiais e a realização de quase 200 exames anti-doping. O Brasil teve uma participação extraordinária, tendo ficado em 3° lugar no quadro geral de medalhas e alcançado o título de campeão nas modalidades Atletismo e Futebol de 5, além de ter qualificado as equipes masculina e feminina de goalball para os Jogos Paraolímpicos.

No entanto, hoje, as vésperas da Paraolimpíada, em que o sucesso da participação brasileira é quase uma certeza, inclusive com uma delegação que conta com a participação de aproximadamente 100 pessoas que tem algum vínculo com a CBDC, e até mesmo com a utilização da bola na modalidade futebol de 5 sendo produzida no Brasil, e após tantas outras conquistas, a entidade se encontra em uma situação financeira extremamente difícil, o que ocorreu pelo fato de não ter recebido os apoios necessários para a realização dos Jogos Mundiais da IBSA, ficando assim com uma dívida de aproximadamente R$1,5 milhão( um milhão e meio de reais), o que certamente trouxe conseqüências terríveis para aquelas empresas e pessoas que trabalharam na organização do evento. Neste sentido, vale dizer ainda que a CBDC somente decidiu postular a realização deste grande evento no Brasil a partir do momento que estava de posse das cartas de apoio das autoridades constituídas, o que daria legitimidade para que o evento integrasse os respectivos orçamentos das instâncias de governo envolvidas. Neste caso, cabe esclarecer que a participação da cidade de São Caetano do Sul veio após a definição da realização do evento no Brasil, o que se deu pelo fato de necessitarmos de uma infra-estrutura esportiva melhor, especialmente em relação a ginásios, o que foi encontrado naquela cidade.

Desta maneira, podemos concluir não ser justo que o movimento de quase 25 anos de existência esteja chegando ao seu final e que, empresas e pessoas que confiaram na idoneidade da instituição, o que sempre foi uma marca, fiquem com suas situações funcionais verdadeiramente deterioradas. Assim, algo precisa ser feito, pois não podemos deixar uma história finalizar-se de maneira tão trágica, e a idéia é falarmos a todos os lugares deste país aquilo que está ocorrendo conosco, pois somente nós e nossos parceiros é que sabemos o tamanho da dor que estamos sentindo após termos dignificado mais uma vez, o nome do nosso país com a realização de um evento tecnicamente extraordinário. As dificuldades que estamos enfrentando estão presentes na impossibilidade de realizarmos competições, na condição de não honrarmos nosso compromissos financeiros, na demissão de funcionários, nos problemas judiciais e, até mesmo, no impeditivo para recebermos recursos públicos; ou seja, estamos diante de um quadro bastante difícil, mas - por outro lado - estamos extremamente determinados no enfrentamento destes desafios e acreditando profundamente na possibilidade do êxito, diante de mais esta “competição”, pois, felizmente, o histórico de credibilidade da CBDC sempre esteve presente.
Por isso, através dos meios de comunicação, do meio político, da iniciativa privada e da sociedade em geral, solicitamos o socorro que necessitamos para a continuidade da existência de uma entidade e de um movimento que sempre procuraram primar pela seriedade e que, acima de tudo, surgiram com uma finalidade digna e para uma existência muito mais duradoura.

Assim, ficamos à disposição daqueles que necessitem de outros esclarecimentos e, até mesmo, daqueles que possam nos ajudar, dando espaço para a divulgação desta mensagem ou ainda daqueles que possam nos apoiar através de ações de patrocínio ou doações.

Finalmente, ficamos na expectativa de recebermos os contatos daqueles que, de maneira mais direta, possam integrar nossa luta, independentemente de qual seja a maneira da colaboração, aos quais nós já antecipamos nosso profundos agradecimentos.”

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Mensagem de Ivaldo Brandão

O Professor Ivaldo Brandão informou a razão para não ter enviado as respostas sobre a eleição do Comitê Paraolímpico Brasileiro. Leia abaixo:


"Desculpe-me por não enviar as informações solicitadas, em função de a "Chapa Renovação", ter sido abandonada pela ABDEM, Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Intelectuais, na sexta feira 13 de Fevereiro, inclusive com membro indicado na Vice-Presidencia o senhor Amauri Russo.

Dessa forma foi decidio por mim que a chapa seria no seu devido tempo retirada do pleito e não dessa forma, não havia o porque responder os seus questionamentos, desculpe-me mas fomos pegos de surpresa com esta atitude estemporânea dessa associação que não honrou os compromissos assumidos em prol e uma disputa democrática que tanto carece o movimento das pessaos com deficiencia, preferindo, sim, fazer acordos para ter durante os proximos quatro anos os benesses da próxima diretoria.

Agradeço o carinho e dedicação em buscar os devidos esclarecimentos sobre a eleição do CPB, mas como essa atitude da Associação ABDEM não era o prevista, utilizamos o fato como estratégiapara a retirada da chapa e que não poderia ser revelado antes do pleito. Desculpe-me pelo incomodo da sonegação da informação.

Sem mais para o momento me coloco a seu inteiro dispor."

Professor Ivaldo Brandão Vieira

América fecha parceria inédita

O América e a Urece Esporte e Cultura assinaram um contrato de patrocínio na próxima segunda-feira. Com a parceria, o Sangue é o primeiro clube no Brasil a ter um time de futebol para cegos. A solenidade ocorre às 19 h, na sala de troféus do centenário clube carioca, localizada na Rua Campos Sales, na Tijuca, Zona Norte do Rio.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Andrew Parsons é o novo presidente do CPB

O Comitê Paraolímpico Brasileiro tem um novo presidente. Ele se chama Andrew Parsons, último secretário geral do CPB. De acordo com fontes ligadas às duas chapas concorrentes, Ivaldo Brandão, o candidato da oposição, retirou a candidatura e Andrew foi eleito por aclamação.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Eleições CPB

Mandei perguntas por e-mail para os dois candidatos à presidência do Comitê Paraolímpico Brasileiro. Até agora, apenas Andrew Parsons, o secretário geral do CPB, respondeu. Com ansiedade, aguardo o pronunciamento do presidente da Asssociação Nacional de Desportos para as Pessoas com Deficiência, Ivaldo Brandão. Acompanhe no blog Espaço Paraolímpico, do Lancenet.

Acesse http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp

Cadeira de rodas anfíbia

Fonte: Site G1

Autora: Daniella Clark Do G1, no Rio

A caminho do mar do Leblon, no Posto 11, a esteira de bambu instalada em abril de 2008 pela Prefeitura do Rio tem agora novos "aliados" na busca pela inclusão de portadores de deficiência no lazer preferido dos cariocas. São cadeiras de rodas anfíbias e pranchas de surfe adaptadas levadas aos domingos para aquele pedaço da praia pelas ONGs Adaptsurf e Espaço Novo Ser.

"É uma forma de todos terem acesso ao lazer na praia", conta Nena Gonzalez, uma das coordenadoras do projeto "Praia acessível" e presidente da ONG Espaço Novo Ser.

A idéia do projeto – que estreou no último domingo (8) – é fazer com que a areia fofa e as ondas deixem de ser barreiras para os portadores de deficiência que querem curtir um dia de sol à beira-mar. A iniciativa foi conferida e aprovada pelo blog "Mão na roda", publicado no site do "Globo" na internet.

Esteira leva a uma tenda

Aos domingos, a esteira leva agora a uma tenda, onde são oferecidas gratuitamente várias atividades de lazer.



O projeto é uma maneira também de aproveitar melhor o caminho de bambu: apesar de facilitar o trajeto até a areia, ele termina a uma boa distância da água e acaba sendo muito usado pelos ambulantes, que danificam o material transportando ali suas mercadorias. A ONG agora tem planos de melhorar esse acesso à praia.



"O problema é que eles usam carrinhos completamente lotados e o peso acaba danificando a esteira", conta Nena.

O projeto – que conta com estagiários e voluntários de educação física e fisioterapia - seguirá no Leblon durante todo o verão. O próximo encontro será no domingo (15), a partir das 8h, com atividades que incluem apresentações de surfe adaptado, banhos de mar orientados, músicas e jogos.



O objetivo é atrair pessoas com dificuldades de locomoção – incluindo idosos – que passam por uma avaliação e são cadastradas.



"A nossa idéia é levar o projeto para outras praias, como Barra e Copacabana", conta Nena.

Para conferir

Quando: Aos domingos, das 8h às 14h. O próximo encontro será no dia 15.
Onde: No Leblon, na altura do Posto 11.
Na internet: www.novoser.org.br e www.adaptsurf.org.br.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Daniel Dias na coletiva do COB

O nadador Daniel Dias foi convidado pelo Comitê Olimpico Brasileiro (COB) para representar todos os atletas paraolímpicos no evento de apresentação do Projeto Olímpico Rio 2016, nesta sexta-feira, dia 13, às 10h, no Centro de Convenções Sul-América, na Cidade Nova.

A apresentação contará com a presença do presidente do Comitê de Candidatura Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman; do presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Vital Severino Neto; do Ministro do Esporte, Orlando Silva; do Governador do Rio, Sérgio Cabral; e do Prefeito do Rio, Eduardo Paes.

“Será ótimo estar presente neste momento tão importante para o esporte brasileiro. Torço muito pelo Rio de Janeiro . Ia ser um privilégio competir no meu país no maior evento do esporte mundial. O Parapan já foi uma festa. Imagina uma paraolimpíada?”, disse Daniel Dias.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Clodoaldo apresenta projeto de natação no Flu

O nadador Clodoaldo Silva, ícone da natação paraolímpica do Brasil, esteve na sede do Fluminense Football Club na noite desta sexta-feira (6/2), quando apresentou um projeto de parceria com o clube visando à formação de uma equipe de ponta de natação paraolímpica.



Durante o encontro, realizado no Auditório Ricardo de Figueiredo, nas Laranjeiras, Clodoaldo mostrou alguns vídeos de sua vitoriosa carreira e revelou os ensinamentos que aprendeu na vida de desportista.

"Nem todos conseguem chegar ao lugar mais alto do pódio, mas precisamos sempre buscar o nosso melhor. A lágrima de uma derrota vale mais do que a ausência de uma tentativa de vitória", sentenciou.



Estiveram presentes à reunião Margarida Passos, coordenadora do projeto de natação adaptada do Fluminense, Renato Quaresma, diretor de natação e René Machado, superintendente dos esportes olímpicos do clube.



René confessou que o Fluminense vai se empenhar para que o projeto de Clodoaldo se torne realidade. "Vamos buscar apoio para que possamos viabilizar esse projeto. Ter uma pessoa do caráter e ética do Clodoaldo à frente de qualquer trabalho é um orgulho para o clube. O Fluminense vê com bons olhos a iniciativa dele e vai fazer de tudo para que isso realmente aconteça", afirmou.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Pausa nos esportes adaptados. Fernandão no Flu?

Dando uma pausa nos esportes paraolímpicos, vamos falar um pouquinho de futebol. Após as pífias atuações de Roger e Leandro Amaral, o Fluminense procura um artilheiro. Fred e Magno Alves são os candidatos para essa vaga. Porém, um outro nome, segundo fontes ligadas à diretoria do clube, estaria na mira: Fernandão (ex-Internacional). Caso se concretize a contratação, seria uma opção muito mais interessante do que o Magnata. Fernandão é jovem, tem bom passe e faz gols de tudo que é jeito.

Grande repórter

Quero parabenizar a repórter do Programa Especial Fernanda Honorato pela bela entrevista com o velocista Claudemir Santos, medalha de prata no revezamento 4 x 100m nos Jogos Paraolímpicos de Pequim-2008. A jornalista tem Síndrome de Down e mostra ser muito articulada. No site do Programa Especial, Fernanda fala da experiência de trabalhar na TV. “É um sonho realizado. Desde pequena, entrevistava pessoas da minha família e brincava que queria ser Marília Gabriela”.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Breves comentários sobre os coleguinhas

Gostaria de elogiar os repórteres da TV BRASIL pelo belo trabalho na divulgação dos esportes para pessoas com deficiência. O quadro Brasil Paraolímpico do Stadium, algumas vezes, mostra desportos que não fazem parte das paraolimpíadas, mas o intuito é criar matérias sobre esses heróis. A entrevista da jornalista Rosana Mattos com o judoca Breno Viola, primeiro atleta com Síndrome de Down a conseguir a faixa preta, foi muito divertida e nada piegas. Já Letícia Sarandy conversou com uma das promessas da Bocha na classe BC 2, Luiz Henrique. Ele trabalha como camelô para se sustentar. Anteriormente, a repórter Bruna Gosling fez essa matéria (de maneira competente) para o canal SporTV. Porém, Letícia também conseguiu fazer algo muito interessante e criativo.

Pesca adaptada

Neste sábado, dia 31, será realizado o Troféu de Pesca Adaptada no chamado ‘Paredão do bairro da Urca', no Rio de Janeiro. A competição terá início às 8h. Os participantes poderão competir individualmente ou em duplas, dependendo do grau de suas deficiências.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

A IMORTAL MÍSTICA DA CAMISA 7

Por José Antonio Gerheim (Fonte: www.botafogonocoracao.com.br)

A mais bela e mágica história da relação do número de uma camisa com seu personagem começou a ser escrita em 1953 num jogo do Botafogo com o Bonsucesso pelo Campeonato Carioca no lendário estádio de General Severiano. Seu personagem atendia pelo nome de Garrincha, o garoto das pernas tortas, do drible avassalador pelo lado direito do campo, dos gols impossíveis, dos cruzamentos que deixavam os companheiros de ataque na boca do gol.



Daquele jogo em diante, o futebol carioca, o Maracanã, nos dias de clássico entre o Botafogo e seus maiores rivais, ganharia um personagem que iria tirá-lo da lembrança amarga da derrota da final da Copa do Mundo de 1950, frente ao Uruguai, e transformá-lo no templo da alegria, da paixão, da festa das torcidas embandeiradas, dos hinos cantados pelas multidões.



Sim, a virada que fez do Maracanã o templo sagrado do futebol mundial, começou pela arte e a genialidade imensurável do camisa sete do Glorioso, Garrincha, no dia 7 de setembro daquele mesmo ano de 53 quando ele levou o time dirigido por Gentil Cardoso a aplicar um acachapante 3 a 0 no Flamengo, que era o melhor time carioca e favorito ao título.



Eu tive o privilégio de ver Mané Garrincha pela primeira vez no dia 22 de dezembro de 1957. Ele regeu o maior baile dos 59 anos do Maracanã, numa decisão carioca, Botafogo seis, Fluminense, dois. O jogo em que seu companheiro de ataque, Paulinho Valentim, marcou cinco gols, um de bicicleta. O jogo que fez o Rio cantar e sambar o feito de Mané, vestido de preto e branco, o jogo que era o prenúncio do que seria o ano seguinte, quando finalmente na Suécia o Brasil conquistaria seu primeiro título, dos cinco que tem até hoje. Quando o mundo também descobriu a arte inimitável do camisa sete do Botafogo.



Hoje, dia 20, dia de São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro, lembramos os 26 anos de sua partida. Não com choro ou lamento, mas recordando sua alegria de driblar, de jogar, de provocar o êxtase da alegria nas multidões. Principalmente nos corações alvinegros, que ao olhar para o número sete, que ele imortalizou, também se lembram com orgulho de outros como Jairzinho, Rogério, Zequinha, Mauricio, Túlio. E cantam como eu, mesmo que em silêncio, Botafogo, Botafogo, tu és o glorioso, não podes perder, perder para ninguém.

América fecha parceria com Urece

O primeiro time de Futebol de Cinco (para cegos) vinculado a um clube tradicional do Brasil fará um jogo-exibição no sábado, às 10h30, no América, no bairro da Tijuca (Rio de Janeiro). O Sangue emprestará seu uniforme vermelho à ONG Urece, concretizando a parceria.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Mais uma entrevista com um campeão

Danilo Binda Glasser tem sempre algo interessante (e polêmico) para falar. Durante dez anos, ele fez parte da seleção brasileira de natação paraolímpica. Conquistou duas medalhas de bronze em dois Jogos (Sydney-2000 e Atenas-2004). Foi dono de dois recordes mundiais nos 50m livre S10 e um nos 100m livre da mesma classe. Esse é o resumo do currículo invejável de um campeão do esporte adaptado. Essa é mais uma entrevista ao LANCENET! com uma personagem única.

LANCENET! - A imprensa conseguiu entender a importância do esporte paraolímpico?

DANILO BINDA GLASSER - Infelizmente não podemos generalizar. No meu caso, falando como comentarista do SPORTV, posso falar que sim, mas ainda vemos muitos setores da imprensa tratando o atleta deficiente como um coitadinho que aprendeu a viver novamente. Claro que isso tem sua parcela de importância, mas a imprensa precisa aprender, principalmente quando a pauta é "esporte", sobre a necessidade de divulgar esporte e mostrar os resultados e fatos. Não pode transmitir sentimento de dó. Por que não comparar Daniel Dias com Cesar Cielo, ou até mesmo Michel Phelps? Se Claunidei Quirino requisitou uma estrela na camisa do seu time do coração com o fato de ter herdado a medalha de ouro, de Sydney 2000, porque não o Corinthians coloca uma em sua vestimenta uma outra, em homenagem ao Daniel? Aí sim. Ao invés da imprensa falar sobre a superação de seus limites, poderia tratá-lo como atleta, pois treina a mesma coisa ou mais do que qualquer nadador olimpico. Exemplo para isso? Em 2003, disputei os campeonatos paulista e brasileiro contra XUXA, Gustavo Borges & Cia. Atualmente, temos o Andre Brasil quase pegando final no Maria Lenk. Isso não é ser atleta? Ou é ser o deficiente que aprendeu a nadar? Isso falta para a imprensa brasileira. Até mesmo humildade para ver o que fazem lá fora. Na Argentina, que fica aqui ao lado, é tudo diferente. E os argentinos, por enquanto, não têm os nossos resultados. Vira e mexe temos paraolímpicos competindo e ganhando de olímpicos como acontece nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. Disputam o mesmo troféu, a mesma homenagem.


L! - O que você já viu em sua carreira dentro e fora do esporte que te emocionou?

DBG - A prova mais emocionante que assisti em toda minha carreira paraolímpica. O 200 Medley SM7 do Mundial 1998 na Nova Zelândia. Eu era novato, minha primeira convocação. Estava espantado com o alto nível. Um dos melhores amigos que fiz no movimento, Gledson Soares nadou de forma magnifíca. Foi uma batalha braçada a braçada. Eu tenho tudo gravado na minha memória. Foi uma demonstração de pura raça. Nos 50 metros finais, deixou literalmente aos seus pés o adversário francês e ficou com a medalha de bronze. Ficou a demonstração de que quando um atleta tem um objetivo, e luta por ele, tudo é possível. O francês acreditava no que tinha acontecido. Na verdade, todos ficaram impressionados. Ali tive a prova de que Gledson Soares era um lutador. Fora da natação também presenciei emoções, como ver ao vivo as vitórias da Adria Santos em Sydney-2000 e em Atenas. O Futebol de 5 em Atenas-2004. Vi o Tenorio reinar em Sydney e Atenas.

L! - E os momentos tristes?

DBG - Mas tambem vivi momentos tristes. Em Atenas-2004, cheguei como um dos favoritos nos 50 livre. Depois de nadar uma eliminatória só para me classificar, fui para a final. Após uma largada mal executada não pude me recuperar na prova e fiquei com a quinta colocacao. Um balde de água fria! Foi uma tristeza enorme ver minha esposa na arquibancada e a medalha longe. Ver que os medalhistas não conseguiram bater minha melhor marca, o tempo do meu vice-campeonato do mundo. Outro fato marcante, triste, foi no mesmo Mundial em que fui prata nos 50 e bronze nos 100. No primeiro dia, os nadadores teriam de competir no 4x100 livre. Aquela prova que tinha nos consagrado em Sydney, dois anos antes. Ali estavam os mesmo países, os mesmos adversários, e nós, surpreendentes medalhistas da última Paraolimpíada. Eu, Adriano Lima, Mauro Brasil e Fabiano nadamos muito. Nessa prova, fiz minha melhor marca nadando os 100 livre com 56 segundos e 79 centésimos. Deu um nó na gargante e foi duro continuar a batalha durante os outros oito dias de Mundial. Eu, Mauro e Adriano tivemos a oportunidade de voltar ao pódio, já meu amigo Fabiano deve estar com esse nó até hoje na garganta.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Basquete em Fortaleza

A prática da modalidade Basquete em Cadeiras de Rodas é cada vez mais intensa e os interessados se multiplicam a cada treino no Centro Social Urbano Dr. César Cals (CSU), no Planalto Pici, e no Ginásio da Guarda Municipal, no bairro Rodolfo Teófilo, em Fortaleza, Ceará. O número de atletas e interessados aumentou significativamente e os treinos se tornaram cada vez mais produtivos.

Cada cadeira de roda esportiva custa R$ 2,2 mil. “Os meninos estão parecendo crianças com o brinquedo novo. O número de atendidos dobrou, pois agora temos mais cadeiras e não precisamos revezar o uso. Facilita a prática”, afirma Franklin Cunha, diretor esportivo da Associação de Deficientes Motores do Ceará (ADM-CE) e atleta da equipe de basquete paraolímpico.

Outro beneficiado é André Batista, eleito um dos cinco melhores atletas da Copa Nordeste de Basquete em Cadeiras de Rodas, em Recife (PE). Atuando pela equipe da ADM-CE, André comandou o inédito 4º lugar na competição. “Quando íamos para campeonato, chegávamos a pedir cadeiras emprestadas aos outros times”, recorda Franklin.

O esporte, que utiliza as mesmas medições de uma quadra de basquete, conta atualmente com cerca de 60 participantes, divididos entre as duas entidades existentes.

Segundo Franklin Cunha, ainda há espaço para crescer, já que uma nova associação está sendo criada. Com o surgimento dessa associação, mais atletas farão ingresso à modalidade e finalmente o número mínimo de entidades será alcançado para a criação de uma Federação Cearense de Basquete em Cadeiras de Rodas. Desta forma, a primeira seleção cearense da modalidade será formada. Outra realidade que se forma é a primeira equipe feminina no Ceará.

LOCAIS, DIAS E HORÁRIOS DE TREINO:

Centro Social Urbano Dr. César Cals (CSU)Av. Coronel Mattos Dourado, s/n, bairro João Arruda, próximo ao Conjunto Planalto Pici I

Terça, quinta e sexta-feira

Horário: 19h (iniciantes) e 22h (experientes) Ginásio da Guarda Municipal

Rua Delmiro de Farias, 1900, bairro Rodolfo Teófilo

Sábado

Horário: manhã (iniciantes) e tarde (experientes)