sexta-feira, 1 de agosto de 2008

IDÉIA FIXA! Leitor, FUJA DE UMA IDÉIA FIXA!


Na foto, Paulo Cruz (técnico da Seleção de Fut-7) entrega o prêmio de artilheiro ao filho André, que marcou seis gols na competição

A última matéria sobre a Copa Peixotinho
Comandada por dois treinadores, o estrategista Alexandre Gaschi e o cerebral Michel, a equipe do Vitória & Amigos sagrou-se bicampeã da Copa Fabiano Peixoto no dia 26 de julho. Além disso, o torneio descobriu novos talentos como a artilheira Teresa Costa d’Amaral, superintendente do Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência, idealizador e organizador do evento. Ela marcou duas vezes. No jogo contra o Barra do Piraí, Teresa converteu um pênalti e lembrou Marcelinho Carioca em sua fase de ouro. Esse gol foi o mais importante da única vitória (4 a 2) do Time da Teresa no torneio.


Porém, o mais importante foi a alegria demonstrada pelos jogadores e público. Leandro, atacante do Time da Teresa, comandou um animado pagode. Formada pela fisioterapeuta Márcia Fernandes e a nutricionista Flávia Figueiredo, a dupla dinâmica do instituto mostrou mãos firmes em um delicioso churrasco.



Wânderson, Zeca e Antônio, jogadores do IBDD convocados para a Seleção de Futebol de Sete que representará o país em Pequim, estavam presentes na torcida.


Pequenos Grandes Homens

O Vitória & Amigos deu um show e levantou a taça pela segunda vez (2006-08) após golear, na decisão, Furnas por 6 a 0. Nas outras duas edições, o clube foi vice-campeão e terceiro lugar. O grande jogador da equipe foi o jovem Thiago (sem deficiência), de apenas 14 anos. O zagueirão Everaldo deu segurança à defesa. Mas um trio chamou ainda mais atenção. Atletas com nanismo, Daniel, o canhotinha de ouro, César (camisa 11) e Eliu mostraram mais qualidade do que o ataque formado pelo Flamengo no Brasileiro de 1995. Edmundo, Romário e Sávio morreriam de inveja naquele sábado.


Daniel aproveitou para pedir algo especial ao Comitê Paraolímpico Brasileiro. “Sonho com a criação de uma seleção de futebol para pessoas com nanismo”, disse o habilidoso camisa 10, que já sofreu discriminação em uma pelada, mas provou a sua qualidade técnica.


“O sujeito não queria que eu participasse. Achava que poderia me machucar. Joguei e arrebentei. Após o término da partida, veio me pedir desculpas”, afirmou o craque.


Na primeira fase, o IBDD goleou o Time da Teresa (8 x 2) e o Barra do Piraí (4 x 1), mas empatou em 2 a 2 com o bicampeão V&A. Na fase semifinal, foi eliminado por Furnas ao perder por 4 a 3. Apesar disso, os apoiadores Mateus e Mito esbanjaram bom futebol.


Premiados

Das mãos da superintendente Teresa Costa d’Amaral e do gerente de Esportes, Matias Costa, alguns prêmios foram distribuídos para os melhores jogadores. O destaque foi Antônio, camisa 5 de Furnas. Paulo Cruz (IBDD e Seleção de Futebol de Sete), o melhor técnico da competição, entregou o troféu de artilheiro para seu filho, André (IBDD), autor de seis gols. Dênis, atleta amputado do Vitória & Amigos, foi o goleiro menos vazado, com apenas dois gols sofridos. Teresa homenageou também os goleiros Chilavert (IBDD) e Marcelo (Barra do Piraí).


O Time da Teresa, comandado pela superintendente, perdeu os dois primeiros jogos, mas teve seus momentos de pura garra, com as atuações de Ricardo Mangueira, ex-integrante da Seleção de Fut-7, do gerente de Esporte do IBDD, Matias Costa, do goleiro e treinador de bocha Erinaldo ‘Pit’ Chagas, dos zagueiros Darke e Marcos Santos, dos atacantes Leandro, Mansur e Wilton e do técnico Júlio. A única atuação comprometedora foi a do repórter e dublê de lateral-esquerdo Paulo Vitor, que mostrou sua total falta de condições físicas. A chuteira nova e os berros do auxiliar técnico da Seleção de Fut-7 e do IBDD, Marcel Maciel, não foram suficientes para que seu futebol escapasse do sofrível. Tudo bem. O importante é participar.

Nenhum comentário: