quinta-feira, 10 de abril de 2008

MESTRE APPARÍCIO

JOSÉ ANTONIO GERHEIM

Não poderia ser mais triste esse chuvoso e cinzento sábado de outono, 5 de
abril, dia do rebaixamento cruel e amargo, do América, para a sombria
Segunda Divisão. Mas se a queda do centenário e imortal clube da Tijuca, da
rua Campos Sales, é e há de ser momentânea e a sua apaixonada torcida haverá
de encontrar força e união para trazê-lo, em 2010, de volta ao seu lugar, na
Primeira Divisão, ao lado de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, o mesmo
não ocorrerá com o inesquecível jornalista Apparício Pires, que nos deixou no
mesmo dia.

Apparício foi, em seus 82 anos de vida, um desses homens que fez das redações
pelas quais passou, desde a primeira, a ‘Última-Hora’, de Samuel Weiner, na
qual conviveu ao lado de João Saldanha, Nelson Rodrigues, Albert Lawrence,
até a sua última, que foi o ‘Jornal do Brasil’, locais de amizade,
camaradagem, respeito, tanto pelos superiores, mas sobretudo pelos iguais e
os que começavam na profissão que ele tanto amou, dignificou e brilhou.

Tive a sorte e privilégio de tê-lo como chefe de reportagem, editor, e
sobretudo mestre do que aprendi, aqui mesmo quando de minha primeira
passagem, por essa escola do jornalismo que, graças a gente como Aparício,
sempre foi, é, e continuará sendo o Jornal dos Sports.

Qual não foi minha emoção e, porquê não dizer, orgulho ao abrir a edição do
dia 26 de novembro de 1971 do JS, e ler a manchete “Garoto Dinamite
Explodiu”? Emoção compartilhada por companheiros, como Carlos Silva, Paulo
César Pereira, Mário Jorge Guimarães, Marcelo Rezende, Lito Cavalcanti,
Paulino Senra, José Trajano, João Máximo, Roberto Porto, Roberto Rincão,
Vitor Iório, Antonio Roberto Arruda, Jair Motta, o inesquecível Tijolinho,
sobrinho de outro grande cronista, Mauricio Azedo, que com Apparício também
conviveu na redação da Rua Tenente Possolo e é o atual presidente da ABI,
que hoje completa 100 anos.

A histórica e genial manchete, criação de mestre Aparício, discreto
vascaíno, retratava a estréia, no time principal, na véspera, do autor dos
dois gols na vitória do Vasco de 2 a 0 sobre o Internacional. A partir dela
estava escrita a primeira página da história daquele que viria a ser o
maior artilheiro e um dos maiores ídolos do Vasco e do futebol carioca e
brasileiro: o atual deputado estadual, Roberto Dinamite.

Valeu, Apparício!

***

Caros,

minha família comunica a todos que a Missa de Sétimo Dia do meu pai, Apparício Pires, será no próximo sábado, às 16h30, na Capela Sagrado Coração de Maria, do Colégio Sacre Coeur de Marie.

Por favor, avisem nossos amigos e familiares.

Temos certeza de que mesmo os que não puderem comparecer estarão com as melhores lembranças e votos pelo “Apa”. Aproveitamos para enviar uma oração que para quem teve o privilégio de conhecê-lo certamente irá identificá-lo no texto.

Abraços,

Rafaela Pires.

Missa de 7º dia - Apparício Fernandes Pires
Sábado (dia 12), às 16h30
Colégio Sacre Coeur de Marie
Rua Tonelero, 56 - Copacabana (RJ)

Nenhum comentário: