terça-feira, 29 de abril de 2008

Paraolímpicos e radicais

Na próxima quarta-feira, dia 30 de abril, às 16h30, o programa Zona de Impacto, do canal SporTV, estréia uma série de reportagens sobre as aventuras radicais dos atletas brasileiros com deficiência. Na primeira matéria do especial intitulado ‘Paratodos’, o supernadador cadeirante Adriano Lima surfa na Praia de Ponta Negra, em Natal, sua cidade.

Perfil de Adriano Lima

Nascimento: 21/06/1973, em Natal, Rio Grande do Norte
Classe: S6
Deficiência: Paraplégico

Títulos internacionais até 2004

Bronze nos 50m livre, na Paraolimpíada de Atlanta, em 1996; prata nos 100m livre e nos revezamentos 4x50m livre e 4x50m medley e bronze no revezamento 4x100m livre, na Paraolimpíada de Sydney, em 2000; ouro nos 50m, 100m e 400m livre, 100m peito e 200m medley e nos revezamentos 4x50m e 4x100m livre e 4x50m medley, no Parapan-americano de Mar del Plata, em 2003; ouro no revezamento 4x50m medley e prata no 4x50m livre, nos Jogos Paraolímpicos de Atenas, em 2004.

sábado, 26 de abril de 2008

Circuito Loterias Caixa

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp) e do site Notícias Paraolímpicas (http://www.einclusao.net/)

Brasília recebe 498 atletas nas competições de atletismo e natação do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico até 27 de abril. Após duas etapas pelo país, esta é a chance dos desportistas do centro-leste (região centro-oeste, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e algumas cidades de São Paulo) conquistarem índice para a competição nacional em junho, na cidade de Uberlândia.

O velocista Antônio Delfino (foto) disputará as provas dos 100m, 200m e 400m. Outro grande destaque da competição é o nadador Andre Brasil, recordista mundial nas provas de 50m e 100m livre.

Em seu quarto ano, o Circuito Loterias CAIXA reflete o crescimento do esporte paraolímpico brasileiro. Dividido em cinco etapas, sendo três regionais, a competição já ultrapassa a marca de 1200 atletas inscritos na disputa por vagas para as duas etapas nacionais, somando um total de 1680 participantes e profissionais de apoio.



PROGRAMAÇÃO CIRCUITO LOTERIAS CAIXA BRASIL PARAOLÍMPICO
ETAPA CENTRO-LESTE (3° Regional)


26 de abril: A partir das 14h
27 de abril: A partir das 8h



Atletismo: Centro Interescolar de Educação Física (CIEF) - SGAS 907/908, módulos 25/26 – Asa Sul

Natação: SDN Estádio Mané Garrincha - Centro Poliesportivo Ayrton Senna - Asa Norte
Entrada Franca

Perfil de Antônio Delfino

Nascimento: 11/8/1971, Redenção, Piauí
Classe: T46
Deficiência: Amputado do braço direito

Principais Títulos: Prata nos 400m na Paraolimpíada de Sydney, em 2000; ouro nos 100m e nos 400m e bronze nos 200m no Mundial de Lille, na França, em 2002; ouro nos 100m, 200m e 400m no Parapan-americano de Mar del Plata, em 2003; ouro nos 200m e 400m nos Jogos Paraolímpicos de Atenas, em 2004; ouro nos 100m e prata nos 400m no Aberto Europeu de Atletismo Paraolímpico, na Finlândia, em 2005; bronze nos 200m, prata nos 100m e nos 400m no Mundial de Atletismo, na Holanda, em 2006.

Circuito Loterias Caixa 2005: dez medalhas de ouro e duas de prata.

Circuito Loterias Caixa 2006: Quatro medalhas de ouro.

Circuito Loterias Caixa 2007: Oito medalhas de ouro

Parapan do Rio-2007: Prata nos 100m e Prata nos 200m.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Cheiro de recorde nas piscinas

http://www.einclusao.net

Andre Brasil, o supernadador da classe S10, se prepara para a terceira e última etapa regional do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico, que será realizada nos dias 26 e 27 de abril, em Brasília.

Nesta etapa, a Centro-Leste, Andre Brasil compete em quatro modalidades: 100 metros borboleta, 50m, 100m e 400m livre. Pré-classificado para as Paraolimpíadas e dono de seis medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze conquistadas no Parapan do Rio-2007, além de bater três recordes mundiais na mesma competição, Andre conseguiu ótimos resultados em disputas nacionais e mundiais. Por isso, a expectativa para garantir sua vaga nos Jogos de Pequim é grande, já que atualmente é o detentor dos recordes mundiais nos 50m e 100m livre e nos 100m borboleta.

No mês passado, também competiu no México e nos Estados Unidos. “Acabei de chegar de uma semana de treinamento no México. Estou mais leve na piscina. Além disso, competir é bom pois observamos melhor como estamos fisicamente”, explica o atleta.

Mais de 1200 atletas participam do “Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico”, que está em seu quarto ano consecutivo. No total serão cinco etapas, três regionais e duas nacionais. A partir dos índices das competições regionais, os atletas terão a chance garantir uma vaga nas jornadas nacionais que serão em Uberlândia (5 a 8 de junho) e em Fortaleza (6 a 9 de novembro).


Horários:
Dia 26: 8h às 18h.
Dia 27: 8h às 12h.
Local: Estádio Mané Garrincha - Centro Poliesportivo Ayrton Senna - Asa Norte – Brasília/DF. Entrada franca.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Ceará é terra de campeão!

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp) e do site NOTÍCIAS PARAOLÍMPICAS (http://www.einclusao.net)

O secretário do Esporte do Ceará, Ferruccio Feitosa, recebeu na semana passada a delegação de seu estado, que retornou de Natal (Rio Grande do Norte) com quebra de recordes e 46 medalhas do Regional Norte-Nordeste do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico de Atletismo e Natação.

"Foi a maior delegação do Ceará. Antigamente, viajávamos com oito, dez atletas no máximo", disse o atleta Franklin Cunha, prata nos 400m e bronze nos 100m na competição no Rio Grande do Norte (RN).

Dos 31 atletas cearenses, dois retornaram com três medalhas de ouro. No atletismo para deficiente visual, Erenildo de Souza conquistou o ouro nos 100m, 200m e salto em distância. Maria Joselita Moreira venceu no arremesso de peso e nos lançamentos de dardo e disco.

"O nível dos atletas do Ceará está melhorando muito", analisou Franklin.


RECORDE - Um dos contemplados com a Bolsa de Alto Rendimento da Sesporte (Secretaria de Esporte do Ceará), Carlos Alberto Maciel, que perdeu o braço direito aos 12 anos numa máquina de arroz, quebrou o recorde brasileiro na classe S8 nos 100m borboleta do Regional Norte-Nordeste do Circuito.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Copa Intercontinental de Vôlei

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp)e do Notícias Paraolímpicas (http://www.einclusao.net)

A Seleção Brasileira masculina de vôlei paraolímpico participa da Copa Intercontinental, que acontece entre os dias 22 e 29 de abril, em Ismalia, no Egito. O técnico da equipe é o ex-jogador Amauri.

O Brasil classificou-se para os Jogos de Pequim ao conquistar a medalha de ouro no Parapan do Rio-2007. O craque Giba foi cortado da lista de convocados.

Confira os atletas que representam o país na competição.

Jogador do Paraná:
Daniel

Atletas do Rio de Janeiro:
Diogo
Guilherme
Wescley
José Mauro Vilarinho

Jogador de Brasília:
Claudio Irineu (Shokito)

Atletas de São Paulo:
Deivisson
Renato
Wellington
Giovane
Wagner
Samuel

sábado, 19 de abril de 2008

Eles já invadiram a sua praia

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp) e do site Notícias Paraolímpicas (http://www.einclusao.net), e Alexandre Guimarães (futuro editor e colunista da Rolling Stone)


Com uma ajuda gigantesca do jornalista especializado em música Alexandre Guimarães, o meu maior incentivador na idéia de criar um blog sobre esportes para pessoas com deficiência, relatei abaixo o trabalho primoroso de uma ONG. Quero lembrar que o surf não é um desporto paraolímpico, mas a iniciativa é genial.

A associação Favela Surf Clube teve uma belíssima idéia. Ela realiza várias atividades de inclusão social através da cultura e do esporte na Praia do Arpoador. Aulas de percussão, futebol de praia, vôlei de praia e surf são ministradas por músicos e professores formados em educação física, que também são preparados para lidar com pessoas com deficiência.

"Temos três alunos de surf que são deficientes visuais. É uma realização pessoal para eles e para todo o grupo. Os demais se sentem ainda mais motivados a partir do exemplo dado por eles", revela João Paulo. Quando esses três alunos – Jonas de 13 anos, Caio de 16 e Alessandro de 21 – enfrentam as ondas, os professores pedem aos banhistas próximos que mantenham uma certa distância dos alunos, para que eles só se preocupem com o mar.


Cada aluno é monitorado por dois professores: um deles coloca o futuro surfista na onda e o outro fica na chegada, para avisá-lo da entrada na faixa de areia. As pranchas são feitas de borracha. "Observamos que o contato da pessoa com deficiência com a água estimula a percepção, acarretando uma melhora considerável na sua coordenação motora", avalia João Paulo, que também é surfista. A associação está preparada para receber alunos com diversas deficiências. As aulas coletivas são gratuitas; só as individuais são pagas.

Voluntários percorrem a orla

"Quando lavarem a mágoa/Quando lavarem a alma/Quando lavarem a água/Lavem os olhos por mim". "Aos Nossos Filhos", a bela canção de autoria de Ivan Lins e Vítor Martins, lançada em 1978, era quase que uma carta testamento com um pedido de desculpas às futuras gerações pelo estado do planeta Terra.

Pensando em evitar esse tipo de herança, a ONG Surfrider Foundation celebrou no dia 29 de março o "Valeu Praia - Dia Nacional de Limpeza das Praias". O projeto foi realizado por mil voluntários espalhados por 11 pontos da orla marítima do Rio de Janeiro - começando na Praia do Arpoador, passando por São Conrado, Pepê, Barra da Tijuca, Recreio, Macumba, Prainha e terminando na de Grumari.

Ambientalistas, surfistas, empresários e estudantes, munidos de luvas e sacos plásticos, recolheram o microlixo encontrado nas areias, fendas e grutas da pedra do Arpoador - local de concentração do evento. O ambientalista, surfista e presidente da Surfrider Foundation, Roberto Vámos, alertou para a importância de se educar a população. "A praia não está suja por falta de poder público e sim porque nós a sujamos", diagnostica Roberto, que lembra a dificuldade do gari em recolher o microlixo. Segundo os registros da Companhia de Limpeza Urbana do Rio de Janeiro (Comlurb), o verão de 2006 e 2007 foi recordista em poluição na costa brasileira, sendo que no Rio de Janeiro ocorreu um aumento significativo do volume de lixo despejado nas praias.

A associação Favela Surf Clube estava representada por 50 crianças que integraram os grupos de voluntários. Deste total, 30 crianças também fizeram parte da bateria do mestre Adaílton, que é o coordenador do núcleo de percussão da entidade. A bateria chamou a atenção dos banhistas. "É muito importante a participação das nossas crianças. Tanto para elas aprenderem a ter uma consciência ecológica, como para ensinar aos banhistas que as vêem atuando", avalia João Paulo da Silva, advogado e diretor executivo da associação.

Surfista há seis anos, Paulo César, 26 anos, nasceu em Cabo Verde, onde trabalhava em limpeza das praias. Sdims, como é conhecido entre os surfistas, estuda Direito na Universidade Santa Úrsula e é militante na luta contra a poluição marinha. "Os colonizadores destruíram a cultura de muitos países. Todas as praias de países colonizados sofreram ou sofrem com a poluição", dispara. Sdims também foi um dos voluntários na limpeza da Praia do Arpoador, assim como o geólogo Charles Young que estava acompanhado da sua mulher, a publicitária Júlia Aguiar.


Charles também defendeu o projeto Valeu Praia. "É uma iniciativa que necessita de mais adesões", analisou. Este ano, no Brasil, as adesões vieram dos estados de São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Espírito Santo e Amapá. No exterior, com o apoio da Surfrider Foundation International, a ação foi acompanhada por ativistas da Argentina, França, Espanha, Portugal, Austrália, Japão, Porto Rico, Canadá e Estados Unidos.


Tal mobilização internacional se justifica. Roberto Vámos informa que, anualmente, os oceanos recebem mais de dez milhões de toneladas de plásticos, que formam verdadeiras ilhas gigantes boiando entre as correntes marinhas e matando milhões de tartarugas, focas, golfinhos, tubarões e aves marinhas, que confundem o lixo com os alimentos.

No Brasil, todo o lixo coletado no "Dia Nacional de Limpeza das Praias" será encaminhado para reciclagem. Os resíduos recolhidos serão classificados e quantificados por uma equipe do laboratório de pesquisas oceanográficas da UFRJ. Um relatório será enviado ao Ministério do Meio Ambiente e ao Center for Marine Conservation - CMC -, que encaminhará uma avaliação à UNEP - Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas.


Essas informações serão utilizadas na formulação de uma política internacional de proteção ao ecossistema costeiro mundial. "Assim como a cidade, praia limpa é a que não se suja", teoriza Roberto Vámos. Quem sabe as gerações futuras darão sentido aos versos finais de "Aos Nossos Filhos": "Quando brotarem as flores/Quando crescerem as matas/Quando colherem os frutos/Digam o gosto pra mim"

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Cadeirantes participam de maratona

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp)e do site NOTÍCIAS PARAOLÍMPICAS(http://www.einclusao.net)

O excelente trabalho do Professor Aldir Costa, coordenador de desportos para pessoas com deficiência da Secretaria de Esportes do Ceará, faz história. A Secretaria desse estado nordestino apoiou a participação de atletas cadeirantes na 6ª Meia Maratona de Fortaleza, realizada no dia 13 de abril. Veja os resultados.


Cadeirantes Masculino:
1º Antonio Elton - ISAPD-Caucaia
2ºCleber - Equipe Sarah
3º) José Augusto - ISAPD-Caucaia

Cadeirantes Feminino:
1ª) Vera Lúcia – Equipe Sarah
2ª) Leni Lima – Equipe Sarah

terça-feira, 15 de abril de 2008

Jogos Paraolímpicos do Ceará

Paulo Vitor, do Lancenet (http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor/default.asp) e do site Notícias Paraolímpicas (http://www.einclusao.net)

O site recebeu um brilhante relatório da Secretaria de Esportes do Ceará nesta terça-feira, dia 15, e aprovou a iniciativa. Os Jogos Paraolímpicos do Ceará aconteceram entre os dias 13 e 15 de março de 2008, no Complexo Poliesportivo da Universidade de Fortaleza (Unifor). Foi uma competição grandiosa, com a participação de 32 equipes e 367 atletas divididos em seis modalidades: futsal, natação, basquete em cadeira de rodas, xadrez, atletismo e tênis de mesa.

O futsal foi dividido em três classes: cegos (o tradicional Fut-5), surdos e deficientes mentais. A campeã do Fut-5 foi a Sociedade de Assistência aos Cegos. Na classe para deficientes intelectuais, a vencedora foi a Apae-Fortaleza. Já no futebol masculino para surdos, a ASM (Associação de Surdos de Maracanaú) sagrou-se campeã. No futebol para surdos – categoria feminina, o título ficou com o Instituto de Educação para Surdos.

No basquete em cadeira de rodas, a medalha de ouro foi para a Associação dos Deficientes Motores, a prata foi conquistada pelo Instituto Social de Apoio às Pessoas com Deficiência de Caucaia e o terceiro lugar terminou com a digníssima equipe Caçadores de Cesta. Uma festa!

Medalhas de ouro para cada instituição

ADM: basquete,tênis,natação e atletismo
Sociedade de assistência aos cegos: futsal e natação
Apae-Fortaleza: futsal e natação
PFDA-Maracanaú: tênis
Associação de Surdos de Maracanaú: futsal
Capedi– Ipajé: xadrez
Instituto Cearense de Educação para Surdos: futsal
Instituto Moreira de Sousa: atletismo
E.E.Júlio França – Bela Cruz: atletismo

sábado, 12 de abril de 2008

LANCENET ESTRÉIA BLOG SOBRE ESPORTES PARAOLÍMPICOS

O site Lancenet estreou na quarta-feira passada, dia 9, o blog Espaço Paraolímpico do jornalista Paulo Vitor. O repórter, de 28 anos, trabalha no Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Paulo Vitor tem um site sobre esportes para pessoas com deficiência chamado Notícias Paraolímpicas (http://www.einclusao.net) e um outro blog no Google sobre o mesmo assunto e foi colunista, editor e repórter do Jornal dos Sports.

O jornalista também atuou na Rádio Band 1360 AM-RJ, no IBGE e em várias agências de comunicação (Rabaça & Associados, Cajá e Franco Celano). Seu começo de carreira foi como redator da Revista Atuação Universitária nos anos de 1998 e 1999.

Paulo recebeu várias mensagens de pessoas importantes do meio paraolímpico e de outros colegas de profissão em seu e-mail pessoal. Foram muitos elogios para um trabalho cheio de dedicação.

Link do Espaço Paraolímpico no Lancenet:

http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor
Apesar da Confederação Brasileira de Desportos para Cegos (CBDC) não ter disponibilizado agasalhos para os judocas que participam da semana de treinamentos na gelada Brommat (com uma temperatura que pode chegar a um grau negativo nessa época do ano), uma notícia pode ser considerada boa. A equipe do documentário sobre Antônio Tenório, o único tricampeão paraolímpico do país, acompanhou o craque dos tatames nessa viagem insólita até a França. Em maio, as filmagens continuarão na casa de Tenório, em São Paulo. A produção do filme termina após os Jogos de Pequim, em setembro. Para outras informações, acesse http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/paulovitor e http://www.einclusao.net

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Copa Brasil de Halterofilismo

De acordo com o Comitê Paraolímpico Brasileiro, a cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, também é palco da Copa Brasil de Halterofilismo nos dias 12 e 13. Setenta atletas de 12 estados estão confirmados. A goiana Josilene Ferreira, a potiguar Maria Luzineide Santos Oliveira e o paulista Alexander Whitaker, integrantes da delegação da modalidade que representará o Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Pequim, participam do evento.

Programação da Copa Brasil de Halterofilismo:

12/4 – A partir das 10h
13/4 – A partir das 8h
Local: Hotel Parque da Costeira / Av. Via Costeira, Km 07 – Parque das Dunas
Entrada Franca

Campanha do agasalho no judô?

A equipe brasileira de Judô Paraolímpico embarca hoje em São Paulo para Brommat, na França, onde fará um intercâmbio de treinamentos até o dia 19. O único problema é que a Confederação Brasileira de Desportos para Cegos não disponibilizou agasalhos para os atletas. Detalhe: a temperatura em Brommat chega a um grau negativo, segundo o próprio site da confederação. Porém, os atletas do IBDD não congelarão, pois o instituto forneceu os casacos aos seus judocas. Que fria, hein, CBDC!

Circuito Brasil Paraolímpico em Natal

A segunda etapa do Circuito Brasil Paraolímpico de Atletismo e Natação será realizada neste final de semana, nos dias 12 e 13, em Natal, no Rio Grande do Norte. A competição é uma grande oportunidade para os atletas tentarem uma vaga para os Jogos Paraolímpicos de Pequim. O número de vagas para o país já está decidido. Ao todo 48 atletas representarão o Brasil no atletismo e 24 na natação, mas a lista final só será conhecida em junho.

A primeira etapa do Circuito foi em Curitiba (Regional Centro-Sul, de 27 a 30 de março), com a participação de 440 atletas, e a terceira será em Brasília (Regional Centro-Leste, de 24 a 27 de abril). Após as etapas regionais, será estabelecido um ranking. Dessa forma, serão escolhidos os nomes que poderão participar das etapas nacionais, em Belo Horizonte e Fortaleza.

Criado em 2005, o Circuito Brasil Paraolímpico tem três etapas regionais e duas nacionais. Os atletas que conquistarem bons resultados nos regionais garantem a vaga nas etapas nacionais. Lucas Prado, recordista mundial nos 100m e 200m para velocistas cegos, apóia o formato. "Como apareci num circuito como esse, espero que outros nomes possam surgir também", afirmou.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

MESTRE APPARÍCIO

JOSÉ ANTONIO GERHEIM

Não poderia ser mais triste esse chuvoso e cinzento sábado de outono, 5 de
abril, dia do rebaixamento cruel e amargo, do América, para a sombria
Segunda Divisão. Mas se a queda do centenário e imortal clube da Tijuca, da
rua Campos Sales, é e há de ser momentânea e a sua apaixonada torcida haverá
de encontrar força e união para trazê-lo, em 2010, de volta ao seu lugar, na
Primeira Divisão, ao lado de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, o mesmo
não ocorrerá com o inesquecível jornalista Apparício Pires, que nos deixou no
mesmo dia.

Apparício foi, em seus 82 anos de vida, um desses homens que fez das redações
pelas quais passou, desde a primeira, a ‘Última-Hora’, de Samuel Weiner, na
qual conviveu ao lado de João Saldanha, Nelson Rodrigues, Albert Lawrence,
até a sua última, que foi o ‘Jornal do Brasil’, locais de amizade,
camaradagem, respeito, tanto pelos superiores, mas sobretudo pelos iguais e
os que começavam na profissão que ele tanto amou, dignificou e brilhou.

Tive a sorte e privilégio de tê-lo como chefe de reportagem, editor, e
sobretudo mestre do que aprendi, aqui mesmo quando de minha primeira
passagem, por essa escola do jornalismo que, graças a gente como Aparício,
sempre foi, é, e continuará sendo o Jornal dos Sports.

Qual não foi minha emoção e, porquê não dizer, orgulho ao abrir a edição do
dia 26 de novembro de 1971 do JS, e ler a manchete “Garoto Dinamite
Explodiu”? Emoção compartilhada por companheiros, como Carlos Silva, Paulo
César Pereira, Mário Jorge Guimarães, Marcelo Rezende, Lito Cavalcanti,
Paulino Senra, José Trajano, João Máximo, Roberto Porto, Roberto Rincão,
Vitor Iório, Antonio Roberto Arruda, Jair Motta, o inesquecível Tijolinho,
sobrinho de outro grande cronista, Mauricio Azedo, que com Apparício também
conviveu na redação da Rua Tenente Possolo e é o atual presidente da ABI,
que hoje completa 100 anos.

A histórica e genial manchete, criação de mestre Aparício, discreto
vascaíno, retratava a estréia, no time principal, na véspera, do autor dos
dois gols na vitória do Vasco de 2 a 0 sobre o Internacional. A partir dela
estava escrita a primeira página da história daquele que viria a ser o
maior artilheiro e um dos maiores ídolos do Vasco e do futebol carioca e
brasileiro: o atual deputado estadual, Roberto Dinamite.

Valeu, Apparício!

***

Caros,

minha família comunica a todos que a Missa de Sétimo Dia do meu pai, Apparício Pires, será no próximo sábado, às 16h30, na Capela Sagrado Coração de Maria, do Colégio Sacre Coeur de Marie.

Por favor, avisem nossos amigos e familiares.

Temos certeza de que mesmo os que não puderem comparecer estarão com as melhores lembranças e votos pelo “Apa”. Aproveitamos para enviar uma oração que para quem teve o privilégio de conhecê-lo certamente irá identificá-lo no texto.

Abraços,

Rafaela Pires.

Missa de 7º dia - Apparício Fernandes Pires
Sábado (dia 12), às 16h30
Colégio Sacre Coeur de Marie
Rua Tonelero, 56 - Copacabana (RJ)

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Caminho difícil até a sala de aula

O Dia, 08/04/2008

Justiça obriga Prefeitura do Rio a transportar aluno tetraplégico


Aprovado no vestibular para Ciência da Computação da UFRJ, Bruno Lima Cardoso, 21 anos, não conseguiu assistir a nenhuma aula. Tetraplégico, o estudante de Campo Grande não tem condições financeiras para arcar com transporte especial até o campus do Fundão. Alguns professores se solidarizaram com a situação e enviam, por e-mail, o conteúdo das aulas para Bruno.

Justiça obrigou Prefeitura a transportá-lo

No dia 24, o Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência entrou com mandado de segurança obrigando o município a fornecer o transporte. A multa diária foi estipulada em R$ 200. “Se eu fosse de táxi adaptado, custaria R$ 120, e o município prefere pagar multa de R$ 200”, critica Bruno.

Até ontem, o município não havia depositado as multas. A advogada do instituto, Priscila Celares, informou que entrou com recurso pedindo o aumento da multa.



Rio, 8 de abril de 2008

terça-feira, 8 de abril de 2008

FUT-7: PEDREIRA NA ESTRÉIA

Brasil joga contra a Ucrânia em torneio internacional

Como já foi informado nesse site, a Seleção Brasileira de Futebol de Sete participa de um torneio preparatório para os Jogos Paraolímpicos de Pequim-2008. A competição acontece entre 3 e 8 de maio, em Yevpatoriya, na Ucrânia. O Brasil enfrenta os donos da casa na primeira rodada. Irã (vice-campeão mundial), China, Grã-Bretanha e Holanda também estarão presentes. O campeonato será disputado em pontos corridos. Confira abaixo a tabela completa.

3 de maio

Ucrânia x Brasil
Irã x China
Grã-Bretanha x Holanda


4 de maio

Holanda x Irã
Brasil x China
Grã-Bretanha x Ucrânia

5 de maio

Brasil x Irã
China x Grã-Bretanha
Ucrânia x Holanda


7 de maio

Brasil x Holanda
Irã x Grã-Bretanha
Ucrânia x China

8 de maio

China x Holanda
Brasil x Grã-Bretanha
Irã x Ucrânia

segunda-feira, 7 de abril de 2008

CPB receberá mais de R$ 6 milhões da Caixa

A Caixa Econômica Federal, através das Loterias CAIXA, renovou o contrato de patrocínio com o Comitê Paraolímpico Brasileiro para o ano de 2008 no valor de R$6, 3 milhões. O apoio, que começou em R$ 1 milhão para a Paraolimpíada de Atenas em 2004, chega a uma soma total de R$ 19,4 milhões.

PATROCÍNIO CAIXA – CPB
2004 – R$ 1.000.000,00
2005 – R$ 3.418.800,00
2006 – R$ 3.800.000,00
2007 – R$ 4.886.000,00
2008 – R$ 6.394.800,00

Além do patrocínio da CAIXA, as Loterias CAIXA repassam por meio da Lei Agnelo-Piva, 2% da arrecadação bruta de todas as apostas ao Comitê Olímpico Brasileiro e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro. Do total de recursos repassados, 85% são destinados ao COB e 15% ao CPB.

Nos dois primeiros meses do ano, através da Lei, o CPB foi beneficiado com R$ 2,2 milhões oriundos das Loterias CAIXA. Em 2007, ano de Parapan do Rio, o total arrecadado foi de R$15,3 milhões. A expectativa é que o valor aumente com a chegada da Timemania.

Como parte do patrocínio ao CPB, a CAIXA desenvolve o Programa de Apoio a Atletas de Alto Nível. Para 2008, o número de atletas beneficiados aumentou e agora somam 18, sendo dois atletas-guias.

PROGRAMA DE APOIO A ATLETAS DE ALTO NÍVEL
Adriano Lima – natação
Andre Brasil – natação
Daniel Dias – natação
Edenia Garcia – natação
Fabiana Sugimori – natação
Ivanildo Vasconcelos – natação
Antonio Tenório – judô
Andre Garcia – atletismo
Antônio Delfino – atletismo
Jorge Luis Silva – guia Terezinha
Justino Barbosa dos Santos – guia Lucas Prado
Lucas Prado – atletismo
Odair Ferreira Santos – atletismo
Roseane Santos – atletismo
Shirlene Coelho – atletismo
Terezinha Guilhermina – atletismo
Tito Sena – atletismo
Yohansson Nascimento – atletismo

Além do programa de apoio a atletas, o patrocínio da CAIXA possibilita a realização pelo CPB do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico de Atletismo e Natação. Com previsão de participação de 1.200 atletas, a competição começou a ser disputada em 2005 e tem como principal objetivo desenvolver a prática desportiva e técnica das modalidades em disputa, além de proporcionar oportunidades de competição aos atletas de elite e novos talentos do desporto paraolímpico brasileiro.

CIRCUITO LOTERIAS CAIXA BRASIL PARAOLÍMPICO DE ATLETISMO E NATAÇÃO
ETAPAS REGIONAIS
Centro/Sul – Curitiba (29 e 30/03)
Norte/Nordeste – Natal (12 e 13/04)
Centro/Leste – Brasília (26 e 27/04)
ETAPAS NACIONAIS
Belo Horizonte (7 e 8/06)
Fortaleza (8 e 9/11)

Além disso, o CPB realiza no Rio de Janeiro o Meeting Internacional Paraolímpico Loterias CAIXA de Atletismo e Natação. A primeira edição foi em dezembro de 2007, após a realização do Parapan. Na ocasião, foram quebrados cinco recordes mundiais, sendo três na natação e dois no atletismo.
O Meeting reúne os principais atletas paraolímpicos internacionais e brasileiros, convidados pelo CPB, em dois dias de competição. Este ano, o evento acontecerá nos dias 13 e 14 de dezembro.

Pára com isso!

Paulo Vitor Ferreira, repórter e editor do site Notícias Paraolímpicas (www.einclusao.net)

Tempos modernos no jornalismo. Trabalho na área de Comunicação do Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência e uso, às vezes, um recurso muito impessoal e frio de entrevistar: o MSN. Numa dessas conversas, frias e impessoais, consegui ter um papo descontraído e engraçado com a jogadora de tênis de mesa Jane Karla. A atleta tem seqüelas de poliomielite em suas pernas, é uma das melhores da sua modalidade no paradesporto e foi convocada para a Seleção dita convencional que representará o país no Mundialito, em Belo Horizonte, de 17 a 20 de abril. Ela fez uma pergunta que me deixou com uma dúvida absurda: ‘é certo um repórter me chamar de paraatleta?’.
Fiquei extremamente irritado com a possibilidade de um jornalista chamar um campeão de sua modalidade de paraatleta (nome horroroso) por ter deficiência. Nesse momento, brinquei com Jane. “Então, sou um pararrepórter, um paraprofissional ou um parajornalista por ter seqüelas – não consigo deixar de colocar o trema – de paralisia cerebral (tenho um certo comprometimento físico do lado direito e uma pequena dificuldade na articulação das palavras)”, disse.
Jane se empolgou e mandou vários KKKKKKKK. Entendi que achou engraçado e começou a rir. Esses tempos de MSN...

“É verdade! Então, sou uma paramulher e uma paramãe (ela tem dois filhos) que faz vários paratreinamentos diários e ainda participa de paracompetições. Trabalha em sua paracasa, e recebe a colaboração de sua paramãe para cuidar de sua parafamília”, verbalizou Jane, de maneira bem-humorada.


Confesso que errei

Quem colocou lenha na fogueira foi a ex-assessora de imprensa do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Luciana Pereira, que disse odiar o termo paradesporto. Uso essa palavra para apresentar meu site, Notícias Paraolímpicas, e meu blog no Google, de mesmo nome. Cheio de humildade, ofereço a outra face. No MSN, essa frase viria acompanhada de um ‘RSRSRS’. Uma maneira simples de mostrar ao meu ‘destinatário virtual’ que estaria proferindo uma discreta risada.
Já o assessor de Comunicação do IBDD, Andrei Bastos, jogou mais lenha ainda. “E paraolímpico?”, indagou. O termo paraolímpico, pelo menos, é algo já institucionalizado. É o mesmo que chamar árbitro de futebol de juiz no jornalismo. A maioria dos editores sabe que existe uma diferença grande entre as profissões juiz e árbitro, mas eles usam a denominação ‘juiz’ para não repetir a palavra árbitro trezentas vezes no texto.
Sei que paraolímpico não é o melhor nome (esporte para pessoas com deficiência é mais indicado), mas não é tão ruim assim. Porém, os jornalistas precisam empregá-lo de maneira certa. O esporte paraolímpico é só aquele que faz parte das Paraolimpíadas. De vez em quando, erro o seu emprego. Porém, estou mais atento.


Palavra maldita
O repórter deve tentar não usar termos que possam ser uma forma branda de preconceito. Se é que existe um preconceito brando. Existe um certo temor nas redações com a palavra deficiência, mas escrever ‘esporte para pessoas com deficiência’ (o negrito é meu) não é uma prática desprezível. O pseudo-eufemismo (paraatleta, paranadador etc.) chega a ser bobo e risível.

Agora, vou esperar a próxima conversa fria e impessoal com a inteligente Jane Karla para refletir sobre a minha profissão. Esses tempos de MSN...

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Brasil tem 183 vagas para Pequim

O Brasil tem até o momento 183 vagas em 17 modalidades nos Jogos Paraolímpicos de Pequim. Pela primeira vez, as Paraolimpíadas terão atletas brasileiros do goalball masculino, vôlei sentado, vela e remo.

Em relação aos Jogos de Atenas-2004, o número de vagas brasileiras no halterofilismo e tênis de mesa dobrou. O hipismo terá pela primeira vez uma equipe completa em Pequim. Aumentou também a representação feminina nas delegações. A goiana Josilene Ferreira e a potigüar Maria Luzineide Santos Oliveira estão fazendo história ao compor a maioria feminina na delegação brasileira de halterofilismo, ao lado do paulista Alexander Whitaker. Em dois ciclos, o Brasil praticamente quintuplicou as vagas no atletismo. Das 10 vagas nos Jogos de Sidney e 17 em Atenas, o Brasil conquistou este ano impressionantes 48 vagas.


Dessas 17 modalidades, 16 já têm o número de vagas decidido. O tênis em cadeira de rodas divulgará o número de representantes no fim de maio.


1-atletismo 48
2-basquete para cadeirantes 24
3-bocha 2
4-ciclismo 2
5-futebol de 5 10
6-futebol de 7 12
7-goalball 12
8-halterofilismo 3
9-hipismo 4
10-judô 7
11-natação 24
12-Remo 8
13-tênis em
cadeira de rodas 1 a 4 (a confirmar)
14-tênis de mesa 11
15-Tiro esportivo 1
16-vela 3
17-voleibol 12

Total 183

Fonte: Comitê Paraolímpico Brasileiro

Tubarão das piscinas elogia o site NOTÍCIAS PARAOLÍMPICAS

O grande nadador paraolímpico Clodoaldo Silva mandou um e-mail para o site e rasgou elogios a sua equipe. Veja abaixo.

Olá, meu amigo!
Mais uma vez quero te parabenizar pelo site. Acompanho sempre as notícias. Parabéns!
Sei que agora o meu site vai ser visitado mais vezes do que antes, já que tem um link no seu e o 'Noticias Paraolímpicas' está sendo muito visitado e comentado.
Abraços!

Clodoaldo Silva

NÃO PERCA NA ESPN BRASIL!

Segue uma NOTINHA EXPLOSIVA divulgada por Juca Kfouri em sua coluna da Folha de São Paulo do dia 3 de abril de 2008:

Descaminho paraolímpico

Sexta-feira, às 22h30, na ESPN Brasil, o programa "A Caminho de Pequim" revela a luta pelo poder no Comitê Paraolímpico Brasileiro, uma disputa que envolve dinheiro público, muito, desmandos, de todos os tipos, compromisso zero com o esporte e, dos dois lados, apenas sede pela manutenção de mordomias e privilégios.
Deficiência de caráter -eis aí algo que não tem mesmo jeito (blogdojuca@uol.com.br)

Resgatando parte da história

O site 'NOTÍCIAS PARAOLÍMPICAS' publica um artigo do ex-atleta Luiz Cláudio, um dos pioneiros no esporte para pessoas com deficiência no Brasil.

“Seul 20 Anos”
Luiz Cláudio Pereira

Claro que há controvérsia, mas a circunstância de eu ser conhecedor de alguns fatos, de ter vivido algumas épocas, me obriga a relatar, até porque a nossa história precisa ser dita, escrita, para melhor ser difundida.
Em 1982 o Brasil ousa levar para o exterior uma delegação de atletismo composta, na sua maioria, por atletas com deficiências mais severas. Era o campeonato Parapan-Americano, na cidade de Halifax, no Canadá, comandado pela grande e extraordinária Sandra Perez . O resultado surpreendeu a todos: foram 14 pessoas na ida e 28 medalhas na bagagem na volta - uma proporção de duas medalhas por pessoa. A partir desse momento, todas as viagens passaram a ser integradas por atletas com deficiências mais severas, além das viagens não serem mais uma prerrogativa somente da modalidade de basquete. Enfim, o atletismo conquistou seu espaço, levou consigo também outras modalidades, como natação, halterofilismo, além de outras.

Ganhamos força, visibilidade, e não foram somente as modalidades que cresceram. As instituições dirigentes do desporto paraolímpico também cresceram. Já por conta dos Jogos Paraolímpicos de Seul, na Coréia, em 1988, foi necessário juntar as ações das entidades nacionais, transformando todos os esforços em uma única ação. Esse esforço foi realizado com a liderança de Teresa Amaral e Vanilton Senatore, ambos então trabalhando na CORDE, que reuniram recursos e apoios para viabilizar a nossa participação em Seul. Logo, penso que neste momento surge, não de direito, mas de fato, o Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Os representantes da ABDA, ABDC,ABRADECAR, ANDE e ABDEM debateram a criação do NPC do país. Numa decisão conjunta, somente em 9 de fevereiro de 1995 foi homologado e registrado como personalidade jurídica o Comitê Paraolímpico Brasileiro-CPB, com sede na cidade de Niterói, RJ. João Batista de Carvalho e Silva foi indicado para ser o primeiro presidente da entidade, isso já sabido por todos.

Como podemos observar, existia uma idéia, uma ação, uma mobilização. Porque não um registro, um muito obrigado, a essas duas pessoas que nos ajudaram definitivamente a garantir o que somos e temos hoje, com seus esforços pessoais, muita determinação e atuando de forma decisiva. Valeu Teresa Amaral e Vanilton Senatore! Parabéns Seul, por seus vinte anos completados em 2008.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Fut-7 na Ucrânia

Pequim está cada vez mais próxima. Os Jogos da China serão em setembro e o técnico da Seleção Brasileira de Futebol de Sete, Paulo Cruz, convocou a equipe que vai participar do Torneio Pré-Paraolímpico, em Yevpatoriya, na Ucrânia, de 2 a 9 de maio. Além dos donos da casa e dos brasileiros, Irã (atual vice-campeão mundial), Grã-Bretanha, Holanda e China estarão na competição. Os experientes Marcos e Adriano Biggi, com três Paraolimpíadas no currículo, não foram chamados. Veja os jogadores que defenderão a honra do futebol tupiniquim na gelada Ucrânia.


LISTA DE ATLETAS:

Cemdef-MS:
Irineu
Flávio Dino
Gilberto
Jean

IBDD-RJ:
Zeca
Wânderson
Antônio


Andef-RJ:
Moisés
Marcos William
Leandro Marinho


Caira-MS:

Luciano Rocha
Renato Lima

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Etapa do Circuito Internacional de Tênis em Minas Gerais

Belo Horizonte recebe a partir desta terça-feira, dia 2, tenistas paraolímpicos da Argentina, Bélgica, Canadá, Chile, Colômbia, Eslováquia, Espanha, França, Hungria, Itália, Japão e Malásia, além dos principais atletas brasileiros da modalidade, que estarão participando do Minas Open em sua 3ª Edição até o dia 6 de abril, no Dynamis Tennis Center. O torneio, promovido e organizado pela ONG Tênis Para Todos em parceria com a Academia Dynamis, tem o apoio do Governo de Minas Gerais, Confederação Brasileira de Tênis e Comitê Paraolímpico Brasileiro.


O Minas Open, credenciado pela International Tennis Federation, está entre os torneios que somam pontos para o ranking que decidirá os atletas participantes da Paraolimpíada 2008, ranking que inclui os torneios internacionais disputados até abril. A competição está entre os 125 eventos que serão realizados em 2008, distribuídos em 32 países de todos os continentes.

Divinópolis
A 2ª Etapa do Circuito Mineiro de Tênis Paraolímpico será em Divinópolis, Minas Gerais, entre os dias 1º e 3 de maio, no Clube Estrela do Oeste. O torneio integra o campeonato da Federação Mineira de Tênis, única no Brasil a realizar um circuito estadual desta modalidade.

Tênis para todos

A ONG Tênis Para Todos realiza também o BH Wheelchair Tennis Open (12 a 17 de agosto) e o Winner Brail Wheelchair Tennis Open (10 a 14 de dezembro).

Sediada em Belo Horizonte, a ONG foi registrada oficialmente em janeiro de 2004, e desenvolve os Programas Tênis Sobre Rodas, SuperAção, Tênis nas Vilas, Tênis na Escola e Tênis no Parque.

A entidade especializou-se no planejamento e administração de programas esportivos para crianças e adolescentes de famílias de baixa renda, pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida de todas as faixas etárias e classes sociais, e treinamento de atletas de alto rendimento de tênis paraolímpico para competições.


Através do seu Programa Tênis Para Todos, proporciona a integração de universitários com alunos e atletas de tênis paraolímpico, capacitando-os para a modalidade e o trabalho com a mesma, além de fomentar pesquisas para a elaboração de material científico.

A organização promove torneios estaduais, nacionais e internacionais e desenvolve palestras sobre motivação, esporte, inclusão e progressão social, organização de eventos e outros temas.