quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

LEITURA ACESSÍVEL JÁ!

Machado de Assis, Fiódor Dostoiévski, Mário de Andrade, Fernando Pessoa, Nelson Rodrigues, James Joyce, Sthendal, Eça de Queirós. Esses e outros escritores são imprescindíveis na formação de qualquer mortal. Com esse pensamento, o movimento Molla-Brasil, criado pela Associação de ex-alunos do Instituto Benjamin Constant, luta pelo livro acessível no país para as pessoas com deficiência. A Câmara Setorial do Livro e da Leitura vai se reunir nos dias 6 e 7 de março, na Biblioteca Nacional. A meta é regulamentar a lei do livro no Brasil, a de número 10.753, de 30 de outubro de 2003.

O movimento reivindica a existência desses livros acessíveis nos mesmos locais de venda de toda e qualquer obra convencional.

Acessibilidade



O que é um livro acessível? É aquele que pode ser acessado por pessoas com ou sem deficiência de maneira autônoma. Ele deve apresentar-se no formato áudio e digital, permitindo a impressão de seu conteúdo em letras ampliadas ou em braille.


Desta forma, seu alcance junto a um público seria muito maior, dando possibilidades para que pessoas com diferentes tipos de deficiência como cegueira, surdo-cegueira, baixa visão, tetraplegia, paralisia cerebral, deficiência intelectual, dislexia, mobilidade reduzida, membros superiores amputados, entre outras, possam usá-los sem problemas de acessibilidade.


Segundo o Molla-Brasil, uma pessoa sem nenhuma dessas deficiências também poderia desfrutar da audição de um bom livro no cd-player de seu carro nos momentos de grandes deslocamentos ou congestionamentos pela cidade.

Nenhum comentário: