quarta-feira, 14 de novembro de 2007

BRASIL ENFRENTA O IRÃ NAS SEMIFINAIS DO MUNDIAL DE FUTEBOL DE SETE

Um adversário complicado. Assim pode ser chamado o Irã, que enfrenta a Seleção Brasileira no Mundial de Futebol de Sete nesta quinta-feira, às 14h, no Complexo Esportivo de Deodoro, na Vila Militar do Rio, pelas semifinais da competição. O Brasil fez uma bela campanha até agora ao golear a Inglaterra (5 x 3), a África do Sul (13 x 0), a Austrália (5 x 0) e a Irlanda (5 x 0), mas jogará contra uma equipe mais forte.

O Irã foi campeão asiático, está classificado para as Paraolimpíadas e venceu a Escócia por 6 a 0 na fase anterior.

O técnico Paulo Cruz está com apenas uma dúvida para escalar todas as suas feras. Bruzzi e Wânderson disputam uma posição no meio-de-campo. Zeca pode voltar a jogar mais recuado, na proteção da defesa, onde brilhou contra a Irlanda. "Vou pensar um pouco. Os dois são ótimos jogadores", disse o treinador. Zeca pode voltar a jogar mais recuado, na proteção da defesa, onde brilhou contra a Irlanda.

Já o apoiador Flávio Dino foi reclassificado para a categoria 8 (menor comprometimento físico). Ele ficará na mesma classe de Leandro Marinho e Luciano Rocha. Pela regra da modalidade, apenas dois desses três podem estar em campo ao mesmo tempo.

O Brasil entra em campo com Marcos, Jean, Leandro Marinho, Zeca, Bruzzi (Wânderson), Renato Lima e Luciano Rocha.

OURO NO PARAPAN DE CICLISMO
O atleta brasileiro Soelito Ghor ficou com a medalha de ouro na prova de perseguição individual 4km, classe LC1, no Parapan-americano de Ciclismo, em Cali, na Colômbia. A competição é a última chance de conseguir vagas para o Brasil nas Paraolimpíadas de Pequim-2008. Ghor terminou a prova com 4min51s35, 11 segundos a menos do seu tempo no Mundial de Ciclismo, que aconteceu na França, em agosto deste ano, pulando do 8o lugar no Mundial para o 1o lugar. A prata ficou com o italiano Fabio Triboli e o bronze para o alemão Wolfgang Sacher.
"Já na classificatória, ele fez o melhor tempo surpreendendo os outros competidores.Na final ficou na frente do vice campeão mundial", explica Edilson Alves, diretor técnico do Comitê Paraolímpico Brasileiro e chefe da delegação na Colômbia.

Pela primeira vez participando de uma prova de pista, Rodrigo Mandetta, da classe Tandem, e seu piloto Helder Costa ficaram em 6o lugar, com o tempo de 1min12s87. O Parapan-americano de Ciclismo de Cali 2007 reúne 22 países.


Sobre o ciclismo paraolímpico
Competem no ciclismo paraolímpico atletas com paralisia cerebral, deficiência visual, amputações e lesões medulares em categorias feminina e masculina. O ciclismo apareceu nos Jogos Paraolímpicos em 1984, em Nova Iorque. O primeiro brasileiro a participar de uma competição paraolímpica na modalidade foi Rivaldo Martins, em Barcelona, 1992.

Classificação funcional:

Atletas com deficiência físico-motora:
LC 1: atletas com pequeno prejuízo em função da deficiência. Normalmente nos membros superiores.
LC 2: atletas com prejuízo físico em uma das pernas. Pode ser utilizada a prótese na competição.
LC 3: competidores pedalam com apenas uma perna e não podem utilizar próteses.
LC 4: categoria para atletas com o maior grau de deficiência. Normalmente atletas com amputação em membro superior e inferior.
Handbike: atletas paraplégicos que utilizam bicicleta especial, impulsionada com as mãos.
PC: Atletas com paralisia cerebral.


Tandem: para os ciclistas com deficiência visual. A bicicleta neste caso tem dois assentos e o atleta pedala com um piloto. Os dois devem pedalar em sintonia.

Para mais informações sobre acessibilidade e outros esportes paraolímpicos, acesse os sítios do IBDD (www.ibdd.org.br) e do Comitê Paraolímpico Brasileiro (www.cpb.org.br).

Nenhum comentário: