terça-feira, 29 de setembro de 2015

‘EU VOLTEI! AGORA PARA FICAR!’

‘EU VOLTEI! AGORA PARA FICAR!’ Em 2007, durante os Jogos Parapan-americanos do Rio de Janeiro, tive a ideia de criar um blog que informasse sobre as modalidades para pessoas com deficiência. Sempre tive fascínio pelo esporte paralímpico. Na oportunidade, ainda chamado paraolímpico. Era muito mais pela questão jornalística. O jornalista está atrás de boas histórias e os atletas com deficiência sempre carregam experiências incríveis. Claro que possuía um pouco do aspecto emocional e de identidade, pois tenho pequenas sequelas de encefalopatia crônica da infância, ou seja, paralisia cerebral. Quando nasci faltou oxigenação nas partes do cérebro que comandam o lado motor destro e a voz, um pouquinho de nada. Não tenho nenhuma deficiência cognitiva. Enfim, AS MODALIDADES PARALÍMPICAS ESTÃO NA MINH’ALMA. Comentei com meu chefe, na oportunidade o jornalista Jose Antonio Gerheim, sobre a criação do blog ‘Notícias Paralímpicas’. Profissional de visão, Gerheim propôs que escrevesse também uma coluna semanal sobre esportes adaptados. Dessa forma, criei a ‘RESENHA PARALÍMPICA’. Sai do JORNAL DOS SPORTS. No entanto, continuei a todo vapor com meu blog. Em março de 2008, o Lancenet me convidou para escrever em outro blog. Entrou em cena, o ‘Espaço Paralímpico’. Durante os Jogos de Pequim, tive os trabalhos mais relevantes da minha carreira. Escrevi uma coluna diária no Lance! e dois blogs e fui comentarista de duas grandes emissoras, o SporTV e a TV BRASIL. Após a edição de Pequim, produzi, escrevi e editei diversas matérias de desportos adaptados para a própria TV Brasil e TV Record. Para a TV Brasil, viajei para outros estados, como Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com o intuito de cobrir algumas competições muito importantes e entrevistar grandes e vitoriosos atletas do movimento paralímpico mundial. Em 2011, criei outro blog no AHE BRASIL. O título era uma homenagem a minha primeira coluna. Retomei o título ‘Resenha Paralímpica’. Então, vieram outras atribuições em minha vida. Consegui uma boa agenda, contatos e amizades no futebol e nos esportes olímpicos. O processo se iniciou na TV Record e teve o ápice na TV Band e na ESPN. Mesmo assim, eu continuava produzindo pautas paralímpicas e, de vez em quando, trabalhava para sites especializados e o terceiro setor. No entanto, apesar do amor pelo movimento paralímpico, acabei deixando um pouco de lado o blog ‘NOTÍCIAS PARALÍMPICAS’. Tentei retornar à labuta algumas vezes. Agora, retornei de vez, ainda mais agora quando os Jogos Paralímpicos do Rio estão próximos. Eles começam em 2016 no dia 7 de setembro, o DIA DA INDEPENDÊNCIA. INDEPENDÊNCIA É A MAIOR LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. O blog sempre foi preocupado com o tema da acessibilidade. Agora, nessa fase, a bandeira da igualdade e do fim da discriminação será hasteada para VALER! A partir desse ano, também utilizarei meu canal no Youtube, Paulo Vitor Ferreira-PV, para falar sobre a VIDA ACESSÍVEL. Nele, vou comentar sobre a acessibilidade, as modalidades paralímpicas e olímpicas e o futebol e entrevistar bons nomes do ESPORTE, das ARTES e da VIDA COTIDIANA, pelo menos em um primeiro momento sem muitos recursos financeiros, do Rio de Janeiro, mas que representam toda nossa brasilidade. Como sempre escrevi para os amigos, ABRAÇOS PARALÍMPICOS!!! 

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Dá-lhe, Terezinha! Dá-lhe, Brasil!

Terezinha Guilhermina garantiu ontem, quinta-feira, o segundo ouro no Mundial de Atletismo Paralímpico de Lyon, na França, nos 400m T11 (cegueira total). Após triunfar nos 100m, a mineira disputou os 400m, venceu e ainda quebrou o recorde do competição, com 56s56. Terezinha dedicou a medalha à amiga e também atleta Adriele de Moraes, única deficiente intelectual da delegação brasileira. Terezinha sagrou-se bicampeã mundial nos 100m e nos 400m. “Sempre tento o suicídio nos 400m. Um dia, morro nesta distância”, brincou de forma politicamente incorreta a brasileira, que terminou a prova com um pouco de mal-estar. “Estou no último ano da faculdade de psicologia e bem ocupada. No ano que vem, me formo e será mais fácil treinar para os 400m”, afirmou. Assim como ocorreu na disputa dos 100m, nos 400m, em um ritmo frenético, Terezinha liderou toda a prova. A mineira correu a distância com o guia Wendel Souza, já que seu instrutor principal, Guilherme Santana, está com dores na perna e foi poupado para competir nos 200m. Além do ouro de Terezinha, o paulista Odair Santos garantiu a medalha dourada ao vencer a prova dos 1.500m, classe T11. O Brasil conquistou ainda duas pratas com Alex Pires, nos 1500m T46, para deficientes físicos, com 4min6s4, e com Yeltsin Jacques, também nos 1500m, mas na classe T12, deficientes visuais com pequena porcentagem de visão, com 4min03s52. Leonardo Amâncio, o popular e carismático Gigante, da F58, foi o terceiro colocado no arremesso de peso. Campeão nos 100m e 200m, T43 (biamputados), Alan Fonteles correu na semifinal dos 400m, T43/44, e fez o melhor tempo (50s50), avançando à final, que será nesta sexta-feira, 26. “Não tenho o costume de treinar os 400m, mas se conseguir 49 segundos na prova decisiva, eu ficarei muito feliz”, afirmou. Fonte: CPB

Acessibilidade

O tema acima é de fundamental importância para todos. Quando se fala de acessibilidade existe a associação natural e compreensível com a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, na sociedade. É ISSO TAMBÉM, mas não se pode esquecer de outros setores da sociedade que também fazem parte do grupo das pessoas com necessidades especiais, como idosos, gestantes e pessoas temporariamente limitadas fisicamente (recém-operados). A verdade é que todos têm necessidades especiais. As reformas arquitetônicas e educacionais devem ser feitas em prol de todos os segmentos. Sem dúvida, as pessoas com deficiência possuem maiores obstáculos para a sua cidadania. O direito de ir e vir é ferido a partir do momento que um cadeirante ou cego possui dificuldades gigantescas para embarcar em ônibus para ir à escola. Sair de casa para esse importante público é uma aventura digna de um Indiana Jones, eterna personagem interpretada por Harrison Ford, criada por George Lucas e com direção, nos quatro filmes da série cinematográfica, do genial Steven Spielberg. A exclusão da escola às pessoas com deficiência é cruel e faz com que essas não consigam competir de igual para igual com a maioria sem limitações físicas, dependendo eternamente da cota para funções apenas burocráticas e nada intelectuais ou de chefia. No entanto, é bom lembrar que o descaso tem como alvo todos nós. A acessibilidade é um direito, aliás, um bem comum.

sábado, 15 de junho de 2013

LUCAS PRADO (quase) QUEBRA O RECORDE MUNDIAL NOS 100M E CONQUISTA A MEDALHA DE OURO EM BERLIM

Poucos atletas merecem ser chamados de excepcionais, ou seja, fora do comum. Esse é o caso de Lucas Prado. Depois de seis meses se recuperando de lesão, o velocista da classe T11 (cego total) provou que continua sendo o melhor do mundo. Na primeira etapa nacional do Circuito Brasileiro, em São Paulo, o atleta do Superar Esportes ganhou a prova dos 100m, com 11s34. Neste sábado, Lucas conquistou a medalha de ouro nos mesmos 100m T11 no Campeonato Internacional Alemão de Atletismo Para(o)límpico, competição que faz parte do Grand Prix da modalidade, e bateu o recorde mundial ao lado do guia Laércio Martins. Ele voou baixo e quase estabeleceu nova marca, de 10s99. Quase, pois o recorde não foi validado por causa do vento a favor, 2,1 m/s. A marca de 11s03, alcançada por ele nos Jogos de Pequim, em 2008, continua sendo a oficial para o Comitê Para(o)límpico Internacional. Felipe Gomes ficou na segunda posição, com 11s19. Daniel Silva completou o pódio totalmente brasileiro, com 11s35. Lucas Prado publicou comentário nas redes sociais, relembrando fatos recentes. “Somente passei para comunicar a todos que, depois de meses de luta e trabalho, estou aqui em Berlim e bati o recorde mundial, com o atleta-guia Laércio. Quero apenas informar o excelente resultado aos amigos e agradecer a todos que trabalham comigo e sabem da minha trajetória, como integrantes da comissão técnica, treinador, fisioterapeutas e fisiologistas, e ao meu clube, o Superar”, disse o fenômeno das pistas, Lucas Prado. O velocista teve pequenos problemas na fase semifinal da competição. Na sexta-feira, o atleta-guia Laércio sentiu incômodo muscular apesar da vitória da dupla na bateria. Outro guia de Lucas, Justino Barbosa também está em Berlim mas ainda se recupera de lesão. No entanto, Lucas e Laércio correram juntos e triunfaram. Lucas Prado vai disputar o Mundial de Lyon, na França, entre os dias 19 e 28 de julho, como favorito. Quem duvida que poderá continuar a ter o carinhoso apelido de ‘cego mais rápido do mundo’? Depois dos últimos resultados, parece que nenhum especialista de esporte em sã consciência. ///Fonte: Superar.com ///Foto: Superar/Divulgação

domingo, 19 de maio de 2013

NOTÍCIAS PARA(O)LÍMPICAS NO WORDPRESS.COM

LEIA ESPORTE ADAPTADO NO WORDPRESS.COM (www.esporteadaptado.wordpress.com)!!!! ACESSE PELA ACESSIBILIDADE.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Urece 'Peralta' é campeã do Regional Sudeste de Fut-5

O Regional Sudeste de Futebol de Cinco terminou no domingo, 12 de maio, Dia das Mães, em Vila Velha, no Espírito Santo. A Urece foi a campeã ao vencer o Superar por 4 a 3. Em um jogo espetacular, cheio de viradas, os paraguaios Hugo e Ricardo Peralta (2) e o brasileiro Liwingston marcaram para a Urece. Itamar e Costela anotaram para o vice-campeão. Foi um jogo de tirar o fôlego. No primeiro tempo, Itamar abriu o placar com um gol de placa ao driblar todos os adversários. Superar 1 a 0. O paraguaio Hugo empatou. Na segunda etapa, Liwingston deixou a Urece na frente: 2 a 1. Costela virou o placar, com dois gols, Superar 3 a 2, e quase foi o herói do jogo. Quase. O outro paraguaio da Urece, Peralta, mereceu esse prêmio, pois foi o autor dos últimos dois gols do campeonato. Final: Urece 4 x 3 Superar. Não foi surpresa Ricardo Peralta decidir o torneio, pois ele foi o melhor jogador das duas últimas edições da Copa Brasil da modalidade. Costela ficou com o troféu de artilheiro. Marcou 13 gols. O goleiro Jaime 'Cavalieri' Torres, do Superar Esportes, recebeu muitos elogios por suas atuações. Ex-camisa 1 da seleção de Handebol de quadra e campeão mundial de Handebol de areia (praia), não levou prêmio apenas por não existir o dessa posição. Uma pena. É bom lembrar que no Futebol para Cegos, o goleiro não tem nenhum tipo de deficiência. //// Resultados: Quinta-feira – 9 de maio: ADVC/RJ 2 x 0 ILBES/ES (Grupo A), ADEVIBEL/MG 4 X 2 UNICEP/ES (Grupo A), SUPERAR/RJ 4 X 0 CNRAC/ES (Grupo B), URECE/RJ 9 X 0 FOA/MG (Grupo B), ADVC/RJ 0 X 2 UNICEP/ES (Grupo A)// Sexta-feira – 10 de maio - ADEVIBEL 3 x 0 ILBES (Grupo A), SUPERAR 7 x 0 FOA (Grupo B), URECE 6 x 0 CNRAC (Grupo B), UNICEP 7 x 0 ILBES (Grupo A), ADEVIBEL 4 x 0 ADVC (Grupo A)// Sábado – 11 de maio URECE 0 x 1 SUPERAR (Grupo B), CNRAC o x o FOA (Grupo B)// Semifinais/ 15h30 – ADEVIBEL 1 x 2 URECE/ 17h – SUPERAR 2 x 1 UNICEP// Domingo – 12 de maio - Disputa do 3º lugar - ADEVIBEL 0 x 2 UNICEP /// Final --- URECE 4 x 3 SUPERAR////

sábado, 11 de maio de 2013

Clássico carioca na decisão do Fut-5

O Rio de Janeiro está na final do Regional Sudeste, disputado em Vila Velha, no Espírito Santo. Pela fase semifinal da competição, a equipe do Superar Esportes venceu a Unicep-ES por 2 a 1 e está a um passo (e não mais a dois) do ‘paraíso’, parodiando letra de música de sucesso dos anos 1980. Os gols do Superar foram marcados por Costela, artilheiro da competição com 11. A Urece triunfou sobre a Adevibel por 2 a 0. A decisão será neste domingo, dia 12, às 10h. A marcação foi a característica da primeira etapa. O adversário fez de tudo para neutralizar o forte ataque da ‘Máquina’ Superar. Não adiantou. O artilheiro dos artilheiros, Costela, chutou forte e abriu o placar. Superar 1 a 0. No segundo tempo, a Unicep veio com um esquema mais ofensivo, mas o Superar não recuou. Os dois times escolheram o ataque. Jaime ‘Cavalieri’ fez defesas inacreditáveis, lembrando o histórico goleiro da seleção inglesa da Copa do Mundo de 1970, Gordon Banks. A vontade de empatar do adversário acabou criando pequenos espaços na defesa. Foi o suficiente para Costela acertar outra bomba. Dessa vez, no ângulo. Superar 2 a 0. Como ninguém é de ferro, Jaime sofreu um gol a um minuto do apito final. Bem…isso acontece com os melhores arqueiros. Placar: Superar 2 x 1 Unicep. O treinador do Superar, o estrategista Renato Redovalio, comentou como deu um nó tático no adversário. “A entrada do Itamar foi fundamental, pois aumentamos o volume do nosso jogo e a bola ficou a maior parte do tempo no setor defensivo da Unicep. Ficaram encurralados. Costela foi arrasador. Depois, vieram para cima. Aí, contamos com a força defensiva de Jaime, Moisés e Alessandro. ”, disse Renato. O Superar atuou com Jaime ‘Cavalieri’, Moisés, Júlio (Itamar), Alessandro e Costela ‘Matador’. A esperada decisão será um novo clássico carioca com a Urece, que tem dois jogadores da seleção paraguaia em sua equipe.